Em vez de vigiar, câmeras são usadas para focar mulheres no interior de SP

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Guardas municipais estariam usando câmeras de segurança do sistema de monitoramento para focar mulheres com decotes e casais em namoros em praça

Agência Estado

Imagem feita pelas câmeras de vigilância de Araraquara. Foto: ReproduçãoCâmera segue mulher até ela entrar em uma loja e fica esperando ela sair. Foto: ReproduçãoApós loira sair da loja, a câmera segue seus passos pelas ruas de Araraquara. Foto: ReproduçãoCasal de jovens namorando na praça também é seguido pelas câmeras de vigilância do município paulista. Foto: ReproduçãoDenúncia de vereadora ainda mostra guardas que estariam assistindo à um jogo de futebol no momento do trabalho de monitoramento. Foto: Reprodução

Andar por áreas movimentadas de Araraquara, no interior paulista, pode exigir muita discrição, principalmente, por parte de casais e mulheres. Isso porque, segundo denúncia apresentada na Câmara Municipal e encaminhada ao Ministério Público, guardas municipais estariam usando os câmeras de segurança do sistema de monitoramento para focar mulheres com decotes e casais em namoros apimentados.

Conheça a nova home do Último Segundo

Um vídeo para comprovar a denúncia foi exibido no Legislativo local e mostra momentos em que as câmeras deixam de cuidar da segurança da população e passam muitos minutos a focar mulheres e casais de namorados. Em um dos trechos, a câmera vigia um trecho movimentado do centro, mas basta passar uma mulher de short e o foco passa a ser ela. Assista abaixo ao vídeo divulgado com as imagens:

Até quando entra em uma loja na Rua 9 de Julho a jovem é acompanhada pelas lentes que ficam aguardando até ela sair, para em seguida continuar a acompanhá-la com close no decote e em partes íntimas. Em outro ponto, os protagonistas foram dois adolescentes que namoravam no banco da praça. A câmera ficou por quase 30 minutos focando em close a troca de carinhos.

A denúncia chegou primeiro à vereadora Gabriela Palombo (PT), que contou ter recebido as filmagens neste mês de uma fonte ligada à guarda. O material também foi mandado para o Ministério Público, que já vinha investigando problemas no sistema de monitoramento. De 26 câmeras, só nove estariam funcionando. A prefeitura informou que condena esse tipo de conduta e que vai apurar o caso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia tudo sobre: araraquaragcm

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas