Prefeitura de São Paulo recomenda vetar táxi em corredor de ônibus

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Estudo sugere que só coletivos usem as vias para medir o quanto os táxis interferem no desempenho do transporte

Agência Estado

Um estudo feito pela Prefeitura para analisar o impacto dos táxis nos corredores de ônibus de São Paulo sugere que só os coletivos poderiam usar essas vias. A recomendação é para que se proíba a circulação dos taxistas com passageiros e também de outros veículos à noite e nos fins de semana - permissões que vigoram atualmente.

Conheça a nova home do Último Segundo

undefined
undefined
undefined

A gestão Fernando Haddad (PT) encaminhou, na quarta-feira (11) o documento ao promotor de Habitação e Urbanismo Maurício Ribeiro Lopes. Foi ele quem solicitou à Secretaria Municipal dos Transportes a elaboração desse levantamento. A intenção é medir quanto os táxis interferem no desempenho do transporte público nos nove corredores da capital paulista. Depois de analisar o material, o promotor poderá recomendar mudanças no uso dos corredores à pasta.

Os resultados mostram que os usuários de táxi somam menos de 1% do total de pessoas que utilizam os corredores. "Como resultado, os passageiros de táxi impactam negativamente 99% dos usuários do transporte público coletivo que trafegam nos corredores", diz o estudo. Além disso, em alguns corredores, a velocidade dos ônibus é muito baixa, atingindo 6 km/h em determinados horários, o que equivale a uma pessoa a pé.

Em algumas avenidas, como a Ibirapuera, a Rebouças e a João Dias, tanto no pico da manhã quanto no da tarde, o levantamento mostra que, a cada quatro táxis que circulam na via, três usam as faixas de ônibus, "o que demonstra que tais locais servem como verdadeiros corredores de táxis".

São Paulo tem hoje 119,3 km de corredores de ônibus. Eles ficam à esquerda nas avenidas. As recentes faixas exclusivas, por sua vez, onde os táxis não podem circular, ficam à direita e são mais sujeitas a influências negativas do trânsito.

Velocidade

O promotor Ribeiro Lopes se encontrará na próxima terça-feira (17) com o secretário dos Transportes de Haddad, Jilmar Tatto, para discutir a questão dos táxis nos corredores. "O estudo é completo e a conclusão mostra que, nas faixas exclusivas, onde não rodam táxis, a velocidade dos ônibus é 25% maior." Segundo ele, simuladores de desempenho mostram que, sem os táxis, a velocidade média nos corredores pode chegar a até 36 km/h.

Haddad disse ontem que ainda não tomou nenhuma decisão sobre a proibição. O estudo recomenda também a reanálise das linhas da EMTU, do governo do Estado, que utilizam os corredores municipais.

Faixas exclusivas

Após a instalação de 300 km de faixas exclusivas para ônibus na cidade, Haddad informou na quarta-feira que a Prefeitura não pretende mais ampliar o programa. Segundo ele, a Secretaria Municipal dos Transportes vai agora iniciar uma etapa de avaliação do sistema, a fim de executar melhorias progressivas.

Não estão descartados novos recuos, a exemplo da flexibilização ocorrida no horário da faixa em avenidas da zona leste, como a Mateu Bei. "Mas não é só esse tipo de ajuste. Reavaliar não é desfazer. Às vezes, poderemos fazer uma pequena obra, uma desapropriação que pode alargar um ponto de estrangulamento", explicou.

Leia tudo sobre: GERAL

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas