SP consegue autorização para destruir 8 mil veículos acumulados em pátios

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Milhares de veículos apreendidos que estão depositados em pátios das cidades de Campinas, Indaiatuba, Paulínia e Vinhedo serão compactados e vendidos como sucata

O governo de São Paulo conseguiu na Justiça autorização para transformar em sucata 8.017 veículos apreendidos que estão depositados em pátios na região de Campinas. Eles serão compactados e vendidos como sucata.

Marcos Bezerra/Futura Press
Pátios com carros ainda correm risco de incêndio

O anúncio foi feito pelo secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, na manhã desta terça-feira (10). “A decisão tem benefícios no aspecto ambiental, porque as áreas dos pátios serão descontaminadas com a retirada desses veículos, e também permite uma melhor logística para que a polícia possa atuar mais intensamente na apreensão, fiscalizando e, com isso, evitando crimes”, afirmou o secretário.

Os veículos que serão destruídos estão em três pátios na cidade de Campinas, dois em Indaiatuba, um de Paulínia e um de Vinhedo. Pela decisão, todos os veículos poderão ser destruídos e vendidos como sucata, por meio de licitação. Mas antes disso, deve ser publicado um edital para que os eventuais interessados na restituição do veículo apreendido manifestem o interesse em 10 dias. Ao final desse prazo, os juízes devem comunicar à Corregedoria Geral da Justiça em até 30 dias os casos em que foi determinada a restituição.

Leia também: Incêndio atinge mais de 50 carros em pátio na Grande São Paulo

“Após esse prazo, se não houver manifestação, todos os veículos estarão autorizados a ser compactados e vendidos como sucata. Se houver alguma exceção ao veículo, ele será separado e preservado”, explicou o secretário.

A compactação de veículos apreendidos em pátios na região de Campinas segue medida semelhante adotada na capital, onde cerca de 45 mil veículos também serão submetidos a leilão para serem vendidos como sucata. Ainda segunda a decisão judicial, o dinheiro da venda será depositado em conta para eventuais pagamentos de indenizações.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas