Polícia prende 21 integrantes do PCC no interior de São Paulo

Por Agência Estado |

Texto

Computadores com a contabilidade da facção, também apreendidos, indicam movimentação de somas vultosas

Agência Estado

Uma operação conjunta da Polícia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual em Sorocaba prendeu, nesta terça-feira (10) 21 integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na região. Entre os presos, estão integrantes da cúpula da facção e líderes das principais quadrilhas do tráfico de drogas na região. Seis quilos de drogas que estavam em poder dos procurados foram apreendidos.

Conheça a nova home do Último Segundo

Menores usam regras do PCC para dominar 'cadeias’ da Fundação Casa

Computadores com a contabilidade da facção, também apreendidos, indicam que a organização movimentava somas vultosas com o tráfico - segundo o Gaeco, os valores ainda serão apurados. A operação, iniciada durante a madrugada, movimentou uma centena de policiais militares, além da força-tarefa do MPE na região.

PCC prepara ataques para Copa e eleições, e PM entra em alerta

A Justiça expediu 27 mandados de prisão e 12 mandados de busca. Além de Sorocaba, a operação se estendeu às cidades paulistas de Cerquilho, Tatuí, Itapeva além de Barueri. No município da Grande São Paulo foi preso um homem acusado de ser o "salve" do PCC, incumbido de passar as determinações da cúpula aos demais integrantes. Com ele, foi apreendida uma pistola calibre 380.

De acordo com o coronel Cesar Augusto Franco Morelli, comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, o serviço de inteligência da PM rastreava os bandidos havia quase dois anos. "Demos um duro golpe nessa organização criminosa", disse, referindo-se ao PCC. Os presos foram ouvidos na sede do Gaeco em Sorocaba e levados para cadeias da região. Eles responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico, por ilegal de armas e formação de quadrilha, entre outros crimes.

Leia tudo sobre: GERALPCCSão PauloPMPolícia Militarfacção criminosa
Texto

notícias relacionadas