Notas voaram dentro de agência e ficaram no chão após a fuga de criminosos armados com fuzil e metralhadora

Agência Estado

Dinheiro fácil vai custar caro para seis moradores de Espírito Santo do Turvo, cidade do centro-oeste paulista com pouco mais de 4 mil habitantes. No sábado, 23, eles furtaram R$ 46.530 depois que pelo menos dez ladrões armados com fuzil e metralhadora explodiram quatro caixas eletrônicos nos dois bancos da cidade.

Conheça a nova home do Último Segundo

As notas voaram dentro de uma agência e ficaram no chão após a fuga do bando. "Depois da explosão, cinco homens, uma mulher e um menor entraram na agência e pegaram o dinheiro antes da chegada da polícia. Só que eles foram denunciados, filmados e presos pela nossa equipe", contou Eliane Simão Peres, de 44 anos, escrivã da Polícia Civil.

A mulher pegou R$ 22,6 mil. Ela seria a dona do prédio onde fica uma das agências. Um homem ficou com R$ 15 mil. "Os outros pegaram valores menores, em torno de R$ 3 mil", explicou a escrivã. O adolescente recolheu R$ 800 e gastou o dinheiro. "Ele comprou roupas", observou a policial, acrescentando que o menor não foi apreendido. "Nós o entregamos ao pai", disse. Um dos acusados é apontado como irmão do prefeito João Adirson Pacheco (PSDB).

Todo o dinheiro furtado foi apreendido. A participação de outros envolvidos não é descartada. "Vamos analisar a filmagem, pode ter mais gente envolvida", disse a policial

Prisão

Até agora, a polícia não prendeu suspeitos pelo ataque às agências bancárias. Já o grupo que furtou o dinheiro deixado pelos criminosos pode passar algum tempo atrás das grades pela acusação de furto qualificado. Eles foram transferidos para a Cadeia Pública de São Pedro do Turvo. É lá que vão aguardar a decisão da Justiça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.