Após bloquearem Marginal Tietê, sem teto voltam a acampar na avenida do Estado

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Protesto era contra reintegração de posse de área sob ponte Governador Orestes Quércia, a Estaiadinha

Moradores da Favela da Estaiadinha decidiram perto das 18h desta terça-feira (19) encerrar o protesto que bloqueava as pistas central e local da Marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, na altura da ponte Governador Orestes Quércia, conhecida como Ponte Estaiadinha, e retornar ao acampamento onde moram, em frente ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo, na zona norte.

Conheça a nova home do Último Segundo

Futura Press
Manifestantes atearam fogo em pedaços de madeira para bloquear a via

A PM informa que cerca de 100 pessoas participavam da manifestação que teve início por volta das 16h50. O grupo de manifestantes ateou fogo em pedaços de madeira para bloquear a via.

Após o fim do protesto, o Corpo de Bombeiros está no local para apagar o fogo das barricadas incendiadas. Não há feridos. "Vamos deixar que eles apaguem o fogo. Já causamos o que tínhamos de causar", afirmou o líder Guilherme Boulos, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Mais: Ponte Estaiadinha é fechada após incêndios

Interdição

A Ponte foi interditada neste domingo (17) sem prazo de reabertura, por causa de um incêndio no dia anterior, durante a remoção de 150 famílias que ocupavam o terreno da Prefeitura ao lado da ponte que pode ter abalado a estrutura. Um novo incêndio atingiu o local na noite de domingo.

O primeiro incêndio começou na tarde de sábado (16) e durou duas horas, até ser controlado pelo Corpo de Bombeiros, queimando grande parte dos barracos erguidos no local. As chamas atingiram a área inferior da ponte, ao lado da pista local da Marginal do Tietê, sentido zona leste. As chamas dos barracos que queimaram derreteram as pontas de borracha dos cabos de sustentação. O segundo foco foi registrado às 19h45 de domingo, novamente embaixo da ponte. As chamas foram controladas em uma hora. Apesar dos dois incêndios, uma parte da favela ainda está de pé.

*Com informações da Agência Estado

Leia tudo sobre: protestomoradiaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas