Padrasto de Joaquim denunciou sumiço do menino à Polícia Militar

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Áudio do 190 contraria depoimento anterior de Guilherme Longo, que dizia que mãe da criança havia ligado para PM

Agência Estado

Um áudio de Guilherme Longo falando com o 190 da Polícia Militar revela que foi ele quem ligou denunciando o sumiço de Joaquim, 3 anos, e não a mãe, como o padrasto mesmo havia declarado em depoimento anterior. Na gravação, Longo diz que o menino não era de se esconder e que ele e a mulher não sabiam o que tinha ocorrido.

Conheça a nova home do Último Segundo

Relembre os crimes que chocaram o Brasil

Futura Press
Joaquim Ponte Marques, de 3 anos, estava desaparecido desde a última terça-feira (5). Ele foi encontrado morto no início da tarde do último domingo

"A gente colocou ele pra dormir. A gente foi dormir. A hora que a gente acordou ele não estava mais", diz o padrasto ao policial, que desconfia do fato de a criança ter sumido sozinha. 

"Dentro de casa"

O promotor Marcos Túlio Nicolino afirmou na última quinta-feira (14), que Guilherme Longo entrou em contradições em seu último depoimento em Ribeirão Preto (SP). Para ele, a tese de que uma terceira pessoa teria entrado na casa da família está descartada. "O assassino estava dentro da casa", disse.

Nicolino garante que não há como alguém ter entrado na casa, sequestrado e matado Joaquim. Longo defende a tese desde que o menino foi dado como desaparecido, há nove dias. O corpo foi achado no domingo, 10.

Leia tudo sobre: GERALjoaquimcrimecriançaRibeirão Preto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas