Kassab rebate e chama de “descalabro” primeiro ano de gestão de Haddad

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD parte para o ataque e diz que não sabia de nada sobre quadrilha que fraudava ISS

Ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD, Gilberto Kassab rebateu no mesmo tom críticas do atual prefeito Fernando Haddad à sua gestão relacionadas à fraude no Imposto sobre Serviço (ISS), que pode ter causado prejuízo de R$ 500 milhões aos cofres municipais. Em entrevista publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (11), Kassab chamou de "descalabro" o primeiro ano de gestão do petista.

Conheça a nova home do Último Segundo

“Na medida em que ele utilizou o termo descalabro, sou obrigado a devolver na mesma moeda. É difícil aceitar essa referência sobre o final da nossa gestão. Se aceitássemos, o final da gestão anterior, que era dele, estaria duas vezes esse descalabro”, afirmou Kassab. “Fizemos uma transição impecável, segundo o próprio prefeito em sua posse. Ele só esqueceu de olhar para o próprio umbigo, para sua administração, quando a cidade está espantada com o descalabro desse primeiro ano.”

Mais: Construtoras pagavam mesada para quadrilha do ISS

Kassab vê “falta de controle” em relação ao transporte público na cidade e aponta risco de “entrar num novo ano sem reajuste de IPTU”. “A prefeitura, pela primeira vez, entra o ano com uma perspectiva de dar um subsídio de aproximadamente R$ 2 bilhões (a empresas de transporte). Se ele tivesse competência, tinha conseguido administrar essa questão com o governo federal para não tirar esses recursos no ano que vem destinados a casas populares, saúde, ensino público.”

Leia também:

Quadrilha zerou ISS de 107 prédios em SP

Haddad afirma que quadrilha do ISS pode também ter fraudado IPTU

MP investiga fraude com ISS em 652 prédios de luxo de São Paulo

O ex-prefeito ainda criticou a suposta independência da Controladoria Geral do Município (CGM), defendida por Haddad. O órgão criado pelo atual prefeito foi responsável pelas investigações que descobriram atuação da quadrilha que cobrava propina para reduzir o valor do ISS. “Foi ele quem nomeou o controlador. Então, tem um vínculo com ele, sim. Ele mesmo disse que acompanhou "pari passu" [simultaneamente], tanto é que contribuiu com recursos de seu bolso para pagar o aluguel de uma sala.”

Ao comentar declaração de Ronilson Bezerra Rodrigues de que o prefeito "sabia de tudo" sobre o esque de fraude, Kassab afirmou que "não sabia nada". Segundo o ex-prefeito, uma denúncia anônima sobre o esquema foi recebida durante sua gestão e investigada por três meses. "Não ficou parado. Acabou a gestão. O prefeito Haddad demorou dez meses para fazer algo. Tivemos três meses."



Leia tudo sobre: igspfraudeisskassabhaddad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas