Dois fiscais foram soltos na madrugada desse sábado (9), quando o prazo de cinco dias da prisão temporária venceu

Agência Estado

Os fiscais Ronilson Bezerra Rodrigues, Eduardo Horle Barcellos e Carlos Di Lallo foram soltos pouco depois da zero hora desse sábado, 9, quando o prazo de cinco dias da prisão temporária venceu. Nenhum dos três quis falar com a imprensa.

Eles são acusados de fraudar pagamento do ISS na Prefeitura de São Paulo. Outro acusado, Luis Alexandre Magalhães, já havia sido solto na segunda-feira, 4. Na tarde de sexta-feira, 8, a Prefeitura de São Paulo anunciou que os fiscais suspeitos de envolvimento no crime ficarão suspensos de suas atividades por 120 dias.

Os advogados dos acusados acompanharam os seus clientes na saída. "Ele vai provar sua inocência", afirmou Márcio Sayeg, advogado de Ronilson. Antes da liberação, Sayeg e os outros dois advogados reclamaram da falta de acesso aos autos. "Nós tivemos acesso a poucos documentos, por isso não queremos nos manifestar", disse Gustavo Badaró, que defende Eduardo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.