“Ouvi uma explosão atrás da outra”, diz testemunha de incêndio no centro de SP

Por Clarice Sá | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cem pessoas foram resgatadas pelos bombeiros e trinta delas encaminhadas a hospitais com intoxicação; chamas teriam começado em academia recém-inaugurada

Uma das testemunhas do incêndio que atingiu um prédio na avenida Ipiranga, no centro de São Paulo, que começou a 1h desta sexta-feira (8), afirma que viu uma cena “cruel” e ouviu "uma explosão atrás da outra" no meio da madrugada.

Conheça a nova home do Último Segundo

Vejo ao Vivo: Acompanhe câmeras ao vivo na região da Av. Ipiranga

“Pensei que fosse algum atentado. Foram umas seis ou sete explosões. Ouvi uma explosão atrás da outra. E gritos também”, conta o editor de vídeo Marcelo Cajui, que mora há nove meses em um edifício que fica em frente ao local do incêndio. Por precaução, ele e a mulher desceram para o térreo, assim como boa parte dos vizinhos. Moradores de outros prédios da região tiveram de sair às pressas de seus apartamentos por causa da fumaça, que se espalhava rapidamente.

Moradoras choram após incêndio que atingiu prédio no centro de São Paulo. Foto: Marcos Bizzotto/Futura PressCem pessoas receberam atendimento e 30 foram levadas a hospitais da região. Foto: Marcos Bizzotto/Futura PressMoradores usam manta térmica e passam a manhã na calçada após o incêndio. Foto: Marcos Bizzotto/Futura PressChamas consumiram aparelhos da academia recém-inaugurada . Foto: Marcos Bizzotto/Futura PressFachada do prédio após o incêndio. Foto: Marcos Bizzotto/Futura PressBombeiros trabalham no rescaldo na manhã desta sexta (8). Foto: Divulgação/Cobom SPIncêndio provocou interdição em vias da região. Foto: Edu Silva/Futura PressMorador de prédio é atendido pelo Corpo de Bombeiros. Foto: Futura PressLabaredas assustaram moradores da região. Foto: Marcelo CajuiFogo consome prédio no centro de São Paulo. Foto: Marcelo CajuiMoradores de prédios vizinhos desceram para a rua por causa do incêndio. Foto: Marcelo CajuiIncêndio começou por volta da 1h . Foto: Marcelo CajuiVítimas foram levadas ao hospital com intoxicação leve. Foto: Edu Silva/Futura PressSuspeita é que incêndio tenha começado em academia de prédio comercial. Foto: Edu Silva/Futura PressChamas atingiram prédio residencial vizinho. Foto: Edu Silva/Futura PressIncêndio começou nem prédio comercial no Centro de São Paulo. Foto: Edu Silva/Futura Press

O fogo começou em uma unidade comercial localizada na esquina da avenida Ipiranga com a rua do Boticário e atingiu um edifício residencial vizinho de 25 andares e 146 apartamentos. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, 45 viaturas e cerca de 150 homens foram enviados ao local para atender vítimas e orientar moradores.

Incêndio em Santa Maria: relembre a tragédia da boate Kiss

Pelo mundo: Incêndios que provocaram tragédias em boates

Cem pessoas foram resgatadas do prédio e 30 foram conduzidas para hospitais com intoxicação. Entre elas, um homem de 81 anos retirado inconsciente do quarto andar, segundo os bombeiros. Seis vítimas foram levadas para o Hospital das Clínicas (HC) e oito para a Santa Casa onde uma delas, não identificada, estava em estado grave, com 15% do rosto queimado. Os demais foram encaminhados para o Hospital do Servidor Público Municipal, mas a secretaria de Saúde não soube informar o estado clínico dos pacientes.

Assista ao vídeo com imagens do incêndio:

A suspeita é que o incêndio teria começado em uma unidade da academia de ginástica Smart Fit recém-inaugurada. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ela funcionava irregularmente e tinha as portas corta-fogo trancadas. Elas tiveram de ser arrombadas e as paredes, quebradas para abrir caminho. A Prefeitura apura se os edifícios estavam com a documentação em dia.

A direção da Smart Fit afirmou em nota divulgada esta manhã que "está em contato com autoridades para identificar as causas e poderá prestar mais esclarecimentos quando tiver informações suficientes".

SP: Incêndio em armazém de açúcar faz caramelo inundar ruas no interior

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Jair Paca de Lima, o edifício é ocupado por estrangeiros, entre eles chineses e bolivianos, o que complicou o trabalho de resgate pela dificuldade de comunicação. Parte da estrutura do edifício foi abalada. 

O trânsito continua complicado na região e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) recomenda aos motoristas evitar a região. A pista da esquerda da Avenida Ipiranga está com duas faixas interditadas, na altura da avenida Rio Branco. Trinta linhas de ônibus também foram desviadas.

*Com informações da Agência Estado

Leia tudo sobre: igspincêndiocentro de spavenida ipiranga

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas