Manifestantes sem-teto tentam invadir sede da Prefeitura de São Paulo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Protesto do MTST pede fim dos despejos e a negociação de solução habitacional para os moradores de ocupações

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) fizeram uma manifestação nesta quinta-feira (17) no centro de São Paulo. Eles reivindicam o fim de supostos despejos ilegais pela GCM e a negociação de solução habitacional para os moradores de ocupações em São Paulo.

Conheça a nova home do Último Segundo

Marcos Bezerra/Futura Press
Manifestantes tentam invadir a Prefeitura da capital paulista durante protesto organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, no centro de São Paulo

O protesto começou às 9h na praça Ramos de Azevedo, em frente ao Theatro Municipal, e os manifestantes caminharam até a sede da administração municipal, onde reivindicaram uma reunião com o prefeito Fernando Haddad para discutir as reivindicações. Lá alguns forçaram a porta e tentaram invadir. Uma porta de vidro foi quebrada. Após o confronto com a segurança do prédio, os manifestantes deixaram a região. 

Terça-feira: Sem-teto saem frustrados de reunião com representante da Prefeitura

Na terça-feira (15), os manifestantes já haviam tentado uma reunião na prefeitura, mas, de acordo com Vanessa de Souza, coordenadora estadual do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, o resultado foi insatisfatório. “O secretário de Relações Institucionais recebeu a pauta de reivindicações na prefeitura, mas deixou claro que não tinha autonomia para resolver nada e que depois ia dar uma solução.”

Para o protesto de hoje (17), os manifestantes têm como pauta principal uma solução para 350 famílias que vivem na ocupação Tia Deda, no bairro Parque Ipê, na região do Campo Limpo. Segundo Vanessa, essas pessoas já foram retiradas do local pela Guarda Municipal, mas retornaram por não ter para onde ir.

Participam do protesto moradores de cinco ocupações de São Paulo, a Che Guevara, de Taboão da Serra, a João Cândido, também em Taboão da Serra, a Chico Mendes, em Itapecerica da Serra, a Pinheirinho, em Embu das Artes, a Pinheirinho, da região do ABC, além da ocupação Tia Deda. Os manifestantes reclamam, além disso, do atraso de obras em Paraisópolis, como urbanização, asfalto, creche e casas para as pessoas que foram retiradas de outras localidades devido a reintegrações de posse.

Protesto na Câmara

Na terça-feira, cerca de 400 integrantes do MTST tentaram invadir a Câmara Municipal de São Paulo, no centro da capital. Eles forçaram os tapumes ao redor do prédio, mas foram impedidos por policiais, que usaram gás de pimenta. Após o confronto, manifestantes seguiram em direção à prefeitura.

* Com informações da Agência Brasil

Leia tudo sobre: protestomanifestaçãomtstsão pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas