Menino de 6 anos é suspeito de destruir e furtar unidade de saúde

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Garoto teria agido na companhia de dois garotos, de 13 e 16 anos. Trio quebrou vidros e esvaziou diversos extintores

Agência Estado

Um menino de apenas 6 anos é suspeito de ser um dos protagonistas de um caso de vandalismo e furto ocorrido no final de semana e que foi descoberto somente nesta segunda-feira (14), em Ribeirão Preto (SP). Na companhia de outros dois garotos, de 13 e 16 anos, ele teria invadido e destruído a UBS (Unidade Básica de Saúde) da vila Recreio.

Conheça nova home do Último Segundo

Futura Press
Crianças e adolescentes são suspeitos de furtar e destruir unidade de saúde em Ribeirão Preto (SP)

Ao ir embora, o garoto levou para casa diversos objetos. A mãe do menino estranhou encontrar preservativos com o garoto e o levou até a polícia. A criança então contou que esteve na UBS e ainda em uma creche e uma escola que ficam em prédios anexos ao da unidade. A destruição na UBS foi detectada assim que os funcionários chegaram para trabalhar nesta segunda.

Após entrarem por uma janela, a criança e os adolescentes quebraram vidros, puseram fogo em uma maca, arrombaram dezenas de armários e até extintores foram esvaziados, deixando a repartição tomada por espuma branca.

Mais: Manifestante morre atropelado em protesto em Ribeirão Preto

Achar os culpados não foi uma tarefa complicada, já que o menino de 6 anos foi apresentado pela mãe e outro envolvido deixou o nome escrito várias vezes em uma lousa de recados. Médicos lembraram de quem se trata, uma vez que ele já foi levado algumas vezes para ser atendido no local. A destruição não interrompeu o atendimento médico, mas prejudicou os trabalhos.

A UBS funciona somente durante a semana e segundo o responsável, Ernesto Quintela, tudo estava revirado e faltavam alimentos e objetos como termômetros. Alguns dos materiais estavam na casa do menino mais novo, que contou à mãe ter guardado para os maiores pegarem mais tarde. Na creche e na escola foram quebrados vidros e feitos outros estragos, mas não houve furto.

Reincidente

Um dos envolvidos no furto é um adolescente já conhecido da polícia e que já havia invadido uma igreja na região. Nenhum deles foi apreendido, devendo o caso ser encaminhado para a Vara da Infância e da Juventude.

A prefeitura lamentou o ocorrido e informou que tem usado os serviços da Guarda Municipal para proteger os prédios públicos e tomado outras medidas, como a instalação de alarmes, na tentativa de reduzir os casos de depredação.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas