Prefeitura descredencia empresa de ônibus alvo de greve na zona leste de SP

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Operação de 21 linhas será feita pela operação Paese e por outras empresas, por meio de contrato emergencial

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (11) que descredenciou a empresa viação Novo Horizonte/Itaquera Brasil da concessão de transporte público da capital devido a falhas na prestação de serviços. Cerca de 200 mil passageiros ficaram sem transporte na zona leste nesta manhã por causa da greve de motoristas e cobradores da empresa.

Conheça a nova home do Último Segundo

“A empresa tem trazido enormes transtornos para a população da zona leste. A manutenção deste contrato traria prejuízos do ponto de vista da qualidade do serviço público. Os usuários estavam em uma situação muito desconfortável, que vem se precarizando nos últimos anos”, afirmou Haddad.

Paralisação: Greve de motoristas deixa 200 mil sem ônibus na zona leste de São Paulo

Marcos Bezerra/Futura Press
Viação Itaquera Brasil não vai mais operar em São Paulo

Segundo a prefeitura, a viação Novo Horizonte/Itaquera Brasil apresenta baixa renovação de frota, problemas no número de partidas e alto índice de reclamações. Com a decisão, a operação de 21 linhas passará a ser feita pela operação Paese e por outras empresas de transporte, por meio de contrato emergencial. “A partir de amanhã nós temos uma programação de atendimento de toda a operação da garagem, em todas as linhas”, disse José Evaldo Gonçalo, secretário-adjunto de Transportes.

A nota da prefeitura ainda afirma que com o fim do contrato, os trabalhadores da empresa receberão apoio, com garantias aos seus direitos trabalhistas e recolocação profissional. “Toda gestão que faremos será no sentido da preservação dos direitos dos trabalhadores, inclusive ao emprego. Nós vamos zelar que nessa transição as quitações sejam feitas respeitando os trabalhadores”, explicou Haddad.

Somente neste ano, a viação Novo Horizonte/Itaquera Brasil recebeu 11.038 multas em função de mau atendimento à população. Do total de autuações emitidas, as principais são por descumprimento de intervalos e partidas e por veículos quebrados aguardando socorro no sistema viário. No mesmo período, a empresa foi alvo 8.030 reclamações de usuários, todas referentes à qualidade do serviço, sendo que a queixa mais frequente é por excesso de intervalo em suas linhas. Entre os itens mais citados há, também, casos de motoristas que não atendem o sinal de parada, direção perigosa, e descumprimento de partidas.

De acordo com o Índice de Qualidade de Transporte (IQT), elaborado pela SPTrans sobre o serviço prestado e referente ao primeiro semestre de 2013, a empresa ficou na última colocação.

Leia tudo sobre: ônibusitaquera brasilgreve de ônibusparalisaçãoigspsão paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas