Prefeitura de São Paulo vai instalar 200 radares para vigiar faixas de ônibus

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

A arrecadação da Prefeitura de São Paulo com as infrações deverá subir 22% no ano que vem

Agência Estado

Até o fim do ano, a cidade de São Paulo vai receber 200 novos radares de trânsito, todos voltados para a fiscalização da invasão das faixas exclusivas de ônibus. Com os novos equipamentos e o aumento das faixas de ônibus, a arrecadação da Prefeitura de São Paulo com as infrações deverá subir 22% no ano que vem, na comparação com o previsto para 2013.

Futura Press
Avenida Washington Luís, na zona sul, é parte do terceiro trecho inaugurado do Corredor Norte-Sul

É o que prevê a proposta de orçamento encaminhada para a Câmara Municipal. Pela primeira vez, a arrecadação com as multas deverá passar de R$ 1 bilhão.

Mais: São Paulo paga R$ 10,5 milhões por equipamentos sem uso em ônibus

Atualmente, os aparelhos de fiscalização estão localizados principalmente nas áreas centrais. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), agora a ideia é ampliar o monitoramento para todas as regiões da cidade, até as faixas mais "distantes do centro", onde há "altos índices de infrações".

Leia também: Conhea as empresas de ônibus mais mal avaliadas de SP

Todos os novos radares passarão a funcionar sob a vigência do contrato que já vigora para a fiscalização do trânsito. Outra licitação lançada neste ano pela gestão Fernando Haddad (PT) previa a troca de 436 radares fixos por modelos mais modernos, capazes de ler as placas dos automóveis e autuar os infratores.

Além disso, seriam instalados mais 85 radares pela capital. Esse processo, no entanto, foi suspenso em julho pela Secretaria Municipal dos Transportes, após questionamentos do Tribunal de Contas do Município (TCM) a respeito da modalidade escolhida para a contratação do serviço. Ainda não há prazo para relançamento.

Com o rápido aumento do número de faixas à direita exclusivas para os ônibus - a principal aposta do primeiro ano do governo Haddad no setor de transportes -, torna-se naturalmente maior o risco de motoristas de carros, motos e caminhões serem multados por invasão.

A própria CET admite que esse fato contribuirá para o aumento da arrecadação com multas. Para o próximo ano, conforme a proposta orçamentária apresentada pela Prefeitura nesta semana, o Executivo municipal espera arrecadar R$ 1,190 bilhão com infrações de trânsito.

A peça encaminhada pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) no ano passado estimava R$ 925 milhões com multas de trânsito. Reajustada segundo a inflação do último ano (até agosto), chegaria a R$ 976 milhões. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas