Em hospital, mãe suspeita de matar filhas pergunta: 'como estão as meninas?'

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Corpos das adolescentes foram encontrados na casa da família, no Butantã. A corretora de imóveis estava na sala e confessou ao policiais que havia matado as filhas

Agência Estado

Futura Press
Amigas das adolescentes supostamente mortas pela mãe choram em frente à casa da família no bairro do Butantã

A Polícia Civil compareceu na tarde desta quarta-feira (18) no Hospital Universitário, em São Paulo, para conversar com a corretora de imóveis Mary Vieira Knorr, de 53 anos, acusada de ter assassinado as duas filhas adolescentes. A delegada Lethicia Faria Fadel não quis, no entanto, dar detalhes do encontro, que durou cerca de uma hora. "Ela (Mary) não disse nada", respondeu simplesmente a delegada ao ser indagada sobre o teor da depoimento.

Um dia após matar filhas, mãe saiu para passear com cão no Butantã

O advogado da corretora, Lindenberg Pessoa de Assis, disse achar difícil que a delegada tenha conseguido conversar com a sua cliente. "Ela (Mary) estava sedada pela manhã. Não está em condições de responder nada." Segundo o advogado, Mary passará por uma nova avaliação psiquiátrica na quinta-feira, 19. Na última sexta-feira, ela foi vista passeando com um cachorro depois de ter cometido o crime.

Assis disse que Mary perguntou pelas filhas no hospital, onde está internada desde sábado, dia do crime. "Como estão as meninas?", questionou ao advogado. Ele ainda disse que não pode afirmar sobre a culpabilidade de sua cliente. "Esse é um caso que não tem testemunhas presenciais. Só posso dar um parecer a partir do momento em que ela estiver lúcida, o que ainda não aconteceu", explicou.

Mais: Mãe suspeita de matar as duas filhas segue internada em São Paulo
O caso: Mãe é suspeita de matar as duas filhas na zona oeste de São Paulo

Os corpos de Paola Knorr Victorazzo, de 13 anos, e Giovanna Knorr Victorazzo, de 14, foram encontrados na sábado em casa, no Butantã, zona oeste de São Paulo. A corretora de imóveis Mary Vieira Knorr estava na sala e confessou ao policiais que havia matado as filhas. A suspeita é que elas tenham sido asfixiadas, mas ainda não se sabe o que motivou o crime.

Leia tudo sobre: GERALigspmortefamíliairmãs assassinadasmãe suspeita

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas