Sindicato da construção civil protestou em frente ao terreno na zona leste onde morreram dez operários

Agência Estado

Trabalhadores do setor de construção civil protestam na manhã desta sexta-feira (06), na avenida Mateo Bei, em São Mateus, zona sul de São Paulo, local do desabamento de um prédio em obras na última terça-feira  (27). Às 10h, a manifestação, organizada pela Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil em São Paulo (Sintracon-SP), reunia cerca de 300 pessoas, informou a Polícia Militar.

Causas: S ervidor culpa falta de estrutura de subprefeitura por desabamento em SP

Trabalhadores protestam em frente ao desabamento da obra de São Mateus, zona leste de São Paulo, na manhã desta sexta-feira
PETER LEONE/FUTURA PRESS
Trabalhadores protestam em frente ao desabamento da obra de São Mateus, zona leste de São Paulo, na manhã desta sexta-feira

Em nota, o sindicato disse que o ato em memória das vítimas do desmoronamento quer alertar a população para a necessidade de melhores políticas de segurança no setor, líder no ranking de acidentes de trabalho. Dez operários morreram e outros 26 ficaram feridos após o desabamento da construção de dois andares, que estava embargada pela Prefeitura, na semana passada.

Mais:
Em SP: Embargada, obra que matou uma pessoa está em andamento
Após desabamento, prefeitura divulga lista de obras embargadas em São Paulo

De acordo com levantamento do Sintracon, nove em cada dez obras da capital paulista estão em situação irregular. Os manifestantes reivindicam um canal direto para denúncia das obras irregulares e a instalação de uma frente parlamentar na Câmara Municipal para discussão de melhorias no setor.

Veja imagens do desabamento:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.