Mais dois policiais militares depõem hoje sobre caso Marcelo Pesseghini

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Colegas que estudavam com o menino devem depor nesta semana. Mais de 40 testemunhas já foram ouvidas

Agência Estado

Mais dois policiais militares que trabalhavam com a cabo Andreia Regina Bovo Pesseghini prestam depoimento nesta terça-feira (27), no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Andreia e outras quatro pessoas de sua família foram encontrados mortos em casa, na Brasilândia, zona norte de São Paulo, no último dia 5. O filho da cabo, Marcelo Bovo Pesseghini, de 13 anos, é o principal suspeito de ter assassinado os pais, a avó e uma tia-avó e, em seguida, cometido suicídio.

Leia mais:
PMs e colegas de Marcelo Pesseghini depõem sobre chacina
Polícia chama psiquiatra forense para tentar explicar a morte de família de PMs
Ninguém vai a protesto em defesa de Marcelo Pesseghini no DHPP

Na última segunda-feira (26), outros dois oficiais foram ouvidos pela Polícia Civil: o chefe direto de Andreia, capitão Laerte Araquém Fidelis Dias, da 1ª Companhia do 18º Batalhão, e um ex-chefe da cabo, o capitão Fábio Paganotto, ex-comandante da 1ª Companhia do 18º batalhão. A Corregedoria da PM investiga uma denúncia de que Paganotto foi alertado pela cabo sobre a participações de policiais em um esquema de furtos a caixas eletrônicos.

Colegas que estudavam com Marcelo também devem ser chamados para depor nesta semana. A polícia tenta traçar um perfil do garoto, de Andreia e do seu marido, Luís Marcelo Pesseghini, que era sargento da Rota. O objetivo é entender se Marcelo teria alguma motivação para cometer os crimes. Mais de 40 testemunhas já foram ouvidas desde o início das investigações.

Leia tudo sobre: Marcelo Pesseghiniassassinatobrasilândiaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas