"Lá dentro está um quebra-cabeça", diz bombeiro sobre prédio que desabou em SP

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Capitão do Bombeiros relata que baixa visibilidade e riscos de novos desabamentos dificultam resgates na zona leste

Ao menos 35 operários trabalhavam quando um prédio em construção cedeu na zona leste de São Paulo. Os trabalhos de resgate às vítimas já alcança cinco horas e não há previsão de chegar ao fim. Segundo a capitão Marcos Palumbo, responsável pela ação dos Bombeiros, os escombros foram um quebra-cabeça. "O maior risco agora é o de novos desabamentos. Lá dentro está um quebra-cabeça para nós".

Entenda: Prédio em construção desaba e deixa mortos em São Paulo

Bombeiros procuram a última vítima que foi retirada dos escombros na tarde desta quinta-feira (28/08). Foto: Divulgação/BombeirosBombeiros encontram corpo de nona vítima entre os escombros nesta quinta-feira (29); um operário segue desaparecido. Foto: Futura PressDesabamento completou 24 horas nesta manhã de quarta-feira (27); 50 homens trabalham para encontrar vítimas. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressTratores são utilizados nesta quarta-feira (28) para remoção dos escombros nas buscas por sobreviventes. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressNo final da noite (27) foi confirmada a oitava morte no desabamento; 26 foram socorridos com vida . Foto: Alex Falcão/Futura PressÀ noite foram usados refletores para iluminar a área de escombros, na zona leste. Foto: Alex Falcão/Futura PressCorpo é retirado dos escombros na zona leste. "Número de vítimas pode aumentar", diz capitão dos bombeiros. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressAgentes levam corpo de operário morto em desabamento na zona leste. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressFamiliares dos operários atingidos acompanham o trabalho dos bombeiros e Samu . Foto: Gabriela Bilo/Futura PressTrês lonas com cores diferentes (verde, amarelo e vermelho) indicam atendimento de acordo com a gravidade dos ferimentos. Foto: PETER LEONE/FUTURA PRESSHelicóptero Águia da Polícia Militar é usado para resgate de vítimas em estado crítico. Foto: PETER LEONE/FUTURA PRESSBombeiros caminham com cuidado entre os destroços e carros na região do desabamento. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressImóveis que ficam ao lado do terreno foram evacuados e interditados pela Defesa Civil por segurança. Foto: Futura PressCães farejadores durante intervalo das buscas na zona leste de São Paulo. Foto: Futura PressApós resgate, vítimas com ferimentos leves são levadas aos hospitais da região leste de SP. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloOutro operário é resgatado pela equipe do Samu. Isolante térmico é usado para aquecer as vítimas. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloDesabamento deixou mortos e feriu dezenas. Na foto, equipe resgata um dos operários soterrados. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressVítima que ficou soterrada é aquecida e recebe atendimento das equipes do Samu. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressFamiliares acompanham atendimento às vítimas pela equipe do Samu. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressCães farejadores são utilizados pelos bombeiros no salvamento; ao menos 60 homens estão no local. Foto: PETER LEONE/FUTURA PRESSEstrutura em construção cedeu na avenida Mateo Bei, região de São Mateus; operários foram soterrados. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressOperário sobrevivente aguarda resgate de colegas na zona leste. Pelo menos 35 homens trabalhavam no local. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressBombeiro durante resgate às vítimas soterradas; ao menos 20 equipes atuam no local do acidente. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressÁrea do acidente foi isolada pelo Corpo de Bombeiros. Órgãos acompanham o trabalho de regaste dos operários. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloOperários ficaram soterrados nos escombros da estrutura em São Mateus. Foto: PETER LEONE/FUTURA PRESSCarros que estavam estacionados próximo ao local foram cobertos pelos escombros, na zona leste. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressCarros também foram atingidos pelos escombros do prédio comercial no bairro de São Mateus. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressCenário de destruição na esquina da av. Mateo Bei com a rua Margarida Cardoso dos Santos, em São Mateus. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloBombeiro leva ferramenta usada para cortar estruturas durante resgate; 20 equipes estão no local. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressÁrea do acidente foi isolada pelo Corpo de Bombeiros. Agentes da Defesa Civil (de laranja) acompanham resgates. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloEquipes do Samu participam dos trabalhos de salvamento no desabamento, na zona leste. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressDefesa Civil deve ainda analisar os impactos do acidente na região; avenida foi bloqueada. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressMoradores da região acompanham o trabalho dos bombeiros de resgate aos operários soterrados. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressAvenida Mateo Bei foi totalmente interditada pela CET e tomada por viaturas dos bombeiros. Foto: Wesley Rodrigo/ Futura PressPolicial militar é visto na região do escombro na zona leste de São Paulo. Foto: Eduardo Sampaio/ Futura PressImagem da av. Mateo Bei antes da construção do prédio que cedeu. Havia uma comunidade no local. Foto: Reprodução

Dezenas de vítimas foram resgatas com vida nas últimas horas, desde 8h30, mas a corporação acredita que o número de vítimas deve aumentar. As equipes também já encontraram corpos no local. "Quanto mais o tempo passa, mais difícil encontrar alguém com vida. O nosso trabalho é subir os escoramentos para fazer túneis que levem ar até os sobreviventes", explicou Palumbo.

Jovem soterrado em São Paulo é encontrado após pedir ajuda pelo celular
Veja imagens do desabamento na zona leste de São Paulo
Cinco cães participam da operação de resgate de desabamento em São Paulo

As causas do acidente não foram esclarecidas. Mais cedo, populares relataram ter ouvido uma explosão antes do desabamento. Antigamente funcionava um posto de gasolina no local. A relação logo foi descartada pela corporação. "Não há cheiro de combustível, nem sinal de incêndio. O indício é de colapso estrutural".  

Leia tudo sobre: desabamentoigspsão mateus

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas