Alckmin estuda monitorar Fundação Casa por vídeo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Governador classificou como 'inadmissível' o que aconteceu dentro do complexo Vila Maria

Agência Estado

Um dia após serem divulgadas denúncias de tortura em uma das unidades da Fundação Casa, na Vila Maria, zona norte de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin afirmou que está avaliando a possibilidade de instalar câmeras de vídeo para monitoramento de todas as unidades, a exemplo do que já ocorre em algumas escolas estaduais.

Leia também: Fundação Casa afasta quatro após tortura de jovens em unidade de São Paulo

Futura Press
Fachada do Complexo Vila Maria da Fundação Casa, na manhã desta segunda-feira (19), após denuncias de violências contra seis adolescentes

Alckmin disse que conversou nesse domingo (18), com a presidente da fundação, Berenice Giannella, sobre essa hipótese. "A fundação tem feito um bom trabalho e é uma instituição séria. Conversamos ontem (com Berenice) sobre a hipótese de ampliar o monitoramento por vídeo. Hoje a maioria das escolas do Estado já tem câmera de vídeo, nós temos uma central de monitoramento. Talvez podemos ampliar esse trabalho."

O governador classificou como "inadmissível" o que aconteceu dentro do complexo Vila Maria. "É inadmissível o que aconteceu, imediatamente já foram afastados os três funcionários e o próprio diretor da unidade. Encerrado o processo de sindicância, eles serão demitidos da fundação", afirmou.

O caso

Neste domingo, a Fundação Casa afastou o diretor da unidade João do Pulo do Complexo da Vila Maria e mais três funcionários acusados de espancar seis adolescentes internados.

Reproduçao TV Globo
Imagens flagraram agressões em unidade da Vila Maria

A sessão de espancamento ocorreu após uma tentativa de fuga e foi filmada. As imagens foram exibidas pelo Fantástico, da TV Globo. Nesta segunda-feira (19), mais um funcionário acusado de participar dos atos de violência foi afastado da instituição.

Nas imagens exibidas, os funcionários dão socos, tapas, pontapés e até cotoveladas nos adolescentes, que estão apenas de cuecas, em uma sala do local. As imagens seriam de 3 de maio. O complexo da Vila Maria abriga 521 adolescentes em oito unidades.

A João do Pulo tem capacidade para 40 internos, mas abrigava ontem 64 adolescentes, a maioria apreendida sob as acusações de roubo e tráfico de drogas.

Leia tudo sobre: torturafundação casaespancamentomenoresigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas