Fundação Casa quer cortar árvores após fuga em unidade da zona leste de SP

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cinquenta e quatro internos usaram planta para descer o muro até o lado de fora da unidade na última segunda (12)

A Fundação Casa de Itaquera, na zona leste de São Paulo, pretende cortar as árvores que facilitaram a fuga dos internos no motim de segunda-feira (12), no qual escaparam 54 adolescentes. Os jovens usaram a planta para descer o muro até o lado de fora. Os adolescentes saíram pela lateral enquanto viaturas da Polícia Militar (PM) esperavam no portão dianteiro.

Entenda: Termina rebelião na Fundação Casa; mais da metade fugiu

Futura Press
Paredão da unidade de Itaquera e árvore que foi usada durante a fuga de 54 adolescentes


De acordo com a assessoria da fundação, a equipe avalia se é necessária autorização ambiental para a poda. Até esta terça-feira, a PM havia conseguido recapturar 22 dos 54 fugitivos e seguia com as buscas na região.

A sindicância instaurada pela Corregedoria-Geral da Fundação Casa tem 90 dias para investigar as causas das rebeliões nas unidades de Itaquera e da Vila Leopoldina, na zona oeste, onde também houve motim nesta segunda-feira. Será investigado se há ligação entre os dois casos. 

Tumulto e reféns

Na unidade de Itaquera, o tumulto começou no fim da manhã de segunda-feira (12). Por volta das 16h, o motim terminou com a liberação dos 29 funcionários que foram feitos de reféns.

O diretor da instituição, Orlando Vieira Mendes foi ferido com gravidade e levado ao pronto-socorro mais perto da unidade com cortes na cabeça e hematomas nas costas. A unidade de Itaquera tem capacidade para 150 internos e contava com 103.

Futura Press
Fundação Casa de Itaquera teve tumulto e funcionários reféns nesta segunda-feira (12)

*com Agência Estado

Leia tudo sobre: refémfundação casafugaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas