Com nova defesa, motoboy Sandro Dota confessa que matou cunhada em SP

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Bianca Consoli foi encontrada morta em setembro de 2011. Em carta, ele assumiu assassinato e recusou estupro

Agência Estado

O motoboy Sandro Dota, de 42 anos, acusado de matar e estuprar a universitária Bianca Consoli, sua cunhada, em setembro de 2011, confessou o homicídio em carta escrita na Penitenciária 2 de Tremembé, no dia 2 de agosto. O documento foi entregue à Justiça, segundo a nova defesa constituída pelo réu.

Júri: Julgamento de motoboy acusado de matar cunhada é cancelado em SP

AE
Motoboy Sandro Dota quando foi preso e levado para o DHPP, em setembro de 2011

De acordo com um dos seus advogados, Mauro Otávio Nacif, Dota decidiu espontaneamente mudar a sua versão, mas ainda sustenta que não cometeu estupro. Dota constitui uma nova defesa depois de pedir o afastamento do seu advogado anterior, Ricardo Martins, no primeiro júri do caso, no dia 25 de julho.

Entenda: Jovem é encontrada morta dentro de casa em São Paulo
Corpo de jovem encontrada morta dentro de casa é enterrado
Promotor acompanha caso de jovem encontrada morta em SP

O julgamento foi cancelado porque o réu declarou que não estava confiante em relação ao seu defensor. O próximo júri será no dia 15 de setembro, no Fórum Criminal da Barra Funda, zona oeste de São Paulo. O primeiro julgamento havia chegado até a fase de interrogatório do réu, depois de quatro dias de audiência.

AE
Estampa em camiseta de familiares com a foto da jovem Bianca Consoli, de 19 anos

A nova defesa diz que Dota alega que não havia confessado o crime antes por causa do advogado anterior. Martins não foi localizado pela reportagem.

De acordo com o Ministério Público, Dota assassinou a cunhada porque ela se recusava a ter relação sexual com ele. A principal prova da acusação são vestígios de pele sob as unhas do corpo de Bianca Consoli, encontrado pela mãe em sua residência na zona leste, em 13 de setembro de 2011.

O exame de DNA, realizado pela perícia, mostrou que a amostra era compatível com o suspeito. Também foi encontrada uma mancha de sangue em uma calça do acusado. A acusação tenta demonstrar que a vítima tentou se proteger quando saía do banho e lesionou a perna do réu.

Bianca Consoli, então com 19 anos, foi encontrada pela mãe já morta no chão. A causa seria asfixia provocada por uma sacola plástica.

Leia tudo sobre: bianca consolisandro dotaigspjulgamento

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas