MPL e sindicatos confirmam manifestação nesta quarta-feira em São Paulo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Ato terá concentração no Vale do Anhangabaú, às 15h, e deve seguir em passeata por ruas com centro da capital

Agência Estado

Um protesto contra a suposta formação de cartel em obras e licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPMT) será realizado nesta quarta-feira (14) às 15h, na região central de São Paulo. O Sindicato dos Metroviários do Estado, o Movimento Passe Livre e outras 19 entidades - entre elas a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) - organizam uma concentração no Vale do Anhangabaú.

A saída: MPL encerra protestos, reforça origem de esquerda e diz que não é antipartidário
O retorno: MPL volta às ruas em ato contra desvios no Metrô de São Paulo

Renan Truffi
Protestos do MPL voltarão às ruas em São Paulo

Em seguida, a manifestação deve seguir em passeata pelas ruas do centro da capital paulista até a Secretaria dos Transportes Metropolitanos. No Facebook, quase 7 mil pessoas confirmaram participação no ato. A manifestação pedirá um transporte coletivo estatal e de qualidade.

Na última terça-feira passada (06), as entidades distribuíram uma carta com a pauta de reivindicações em estações da cidade, convidando a população para participar do protesto. No texto, os órgãos afirmam que a denúncia de cartel investigada pela Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pode ter superfaturado em menos R$ 425 milhões obras e licitações do Metrô e da CPTM. Os manifestantes exigem que o dinheiro seja devolvido ao Estado e destinado à melhoria do transporte público e à redução das passagem, até a tarifa zero.

O grupo pretende entregar todas as reivindicações ao secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

Cartel

A suspeita de formação de cartel no transporte metroviário de São Paulo teve início após denúncia da multinacional Siemens ao Cade. Como forma de delação premiada, a empresa forneceu uma série de documentos que comprovariam irregularidades no Estado e também no Distrito Federal. O Ministério Público Federal montou uma força tarefa para investigar o caso. Além da Siemens, entre as multinacionais investigadas estão CAF, Bombardier, Alstom e Mitsui.

Leia tudo sobre: protestomanifestaçãoanhangabaúcartelmpligsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas