Após protestos, governo de São Paulo troca comando da Tropa de Choque da PM

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Alvo de críticas, coronel Cesar Augusto Franco Morelli dará lugar ao coronel Celso Castelo Branco Savioli

Agência Estado

Alvo de críticas durante os protestos de junho em São Paulo, o coronel Cesar Augusto Franco Morelli foi transferido do posto de comandante da Tropa de Choque da Polícia Militar, que ocupava desde 1 de setembro de 2011. Ele foi substituído pelo coronel Celso Castelo Branco Savioli, atual comandante da Baixada Santista. A troca foi publicada nessa quarta-feira (07) no Diário Oficial do Estado.

Leia também:
Ação ‘desproporcional’ da PM em protesto provoca pânico até entre moradores

Veja imagens de um dos dias de protesto em São Paulo:

Policiais em frente a Prefeitura de São Paulo durante protesto contra o aumento das passagens em São Paulo . Foto: Futura PressFotos internas da Prefeitura de São Paulo, após tentativa de invasão. Foto: Paulo Pinto/SecomFotos internas da Prefeitura de São Paulo, após tentativa de invasão. Foto: Paulo Pinto/SecomFotos internas da Prefeitura de São Paulo, após tentativa de invasão. Foto: Paulo Pinto/SecomManifestantes em frente ao carro incendiado da Rede Record. Foto: Futura PressManifestantes saqueiam e depredam agência do Banco Itaú. Foto: Futura PressManifestantes saqueiam e depredam agência do Banco Itaú. Foto: Futura PressManifestantes saqueiam e depredam agência do Banco Itaú. Foto: APBombeiros apagam incêndio provocado por ataque a um dos carros da Rede Record. Foto: APCarro da Rede Record é incendiado por alguns dos manifestantes. Foto: APPoliciais tentam se proteger e se abrigam na Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestante depreda cabine da Polícia Militar. Foto: Futura PressManifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: APManifestantes queimam as bandeiras da cidade e do Estado de São Paulo. Foto: APEnquanto alguns manifestantes pedem paz, outros tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Renan Tuffi/iG São PauloManifestantes seguem para a Av. Paulista. Foto: Futura PressManifestantes, que são contra as ações violentas de alguns grupos, tentam estender bandeira branca para mostra que o protesto é pacífico . Foto: Futura PressManifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes colocam fogo em carro gerador de imagens da Rede Record e atacam posto policial. Foto: Renan Tuffi/iG São PauloManifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressPolícia tenta se proteger na entrada da Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes permanecem na região da Prefeitura de São Paulo. Foto: Renan Tuffi/iG São PauloHomem passa mal e é atendido na calçada. Foto: Renan Tuffi/iG São PauloManifestantes em frente à Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes em frente à Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes em frente à Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressAlguns manifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressAlguns manifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressAlguns manifestantes tentam invadir a Prefeitura de São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressEstação de Metrô Sé é tomada pelos manifestantes. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Renan TruffiManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Renan Tuffi/iG São PauloManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Renan TruffiManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura PressManifestantes se reúnem na Praça da Sé, em São Paulo, para o sexto dia de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público. Foto: Futura Press

Morelli ficou em evidência com as manifestações contra o aumento da tarifa de ônibus na capital paulista, há dois meses. As passeatas terminaram em confronto em diversas ocasiões e a ação da Tropa de Choque foi alvo de contestações de autoridades e da sociedade civil. O grupamento foi acusado de ora atuar com excesso de força, ora fazer vista grossa a atos de depredação e vandalismo.

Divulgação/PM
O ex-comandante do Choque de São Paulo, coronel Morelli

Em nota, a PM informou que a substituição é um "processo natural de gestão e renovação da instituição". O comunicado afirma que o coronel Morelli realizou um "excepcional trabalho" e que é normal ocorrerem movimentações nos postos no mês de agosto. Ele foi transferido para a Assessoria Policial Militar da Prefeitura - departamento de suporte administrativo ao Comando Geral da PM.

Ainda segundo a PM, Morelli foi o responsável pela indicação do sucessor. O coronel Savioli já atuou no 2º Batalhão de Choque, que cuida do policiamento de grandes eventos esportivos, e tem "vasta experiência" na área, de acordo com a corporação.

Savioli, por sua vez, será substituído pelo coronel Ricardo de Jesus Ferreira, que assumirá o comando do policiamento na Baixada Santista. Antes de ser promovido a coronel, Ferreira era responsável pelo 36º Batalhão, na região de Embu das Artes, Grande São Paulo.

Leia tudo sobre: tropa de choquesão pauloigspprotestos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas