Mais duas testemunhas de acusação são ouvidas no julgamento do acidente da TAM

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Parentes das vítimas fazem vigília em frente ao Fórum Criminal Federal em São Paulo

Agência Brasil

Teve início na tarde desta quinta-feira (8) depoimento de mais uma testemunha de acusação no julgamento do acidente com o avião da TAM no Aeroporto de Congonhas, que provocou a morte de 199 pessoas em julho de 2007. O juiz Márcio Assad Guardia, da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo, está ouvindo, por videoconferência, o piloto João Batista Moreno de Nunes Ribeiro. Na sequência, prestará depoimento presencial o piloto Elias Azem Filho, que também é testemunha de acusação.

Leia também:
Julgamento dos acusados por acidente da TAM começa nesta quarta-feira
Testemunhas do julgamento de acidente da TAM começam a ser ouvidas em SP
"Se alguém deve ser culpado é a Infraero", diz defesa de réus do acidente da TAM

Movimentação do julgamento da TAM em São Paulo, nesta quarta-feira (07). Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloBandeira brasileira com os nomes dos 199 mortos do acidente de 2007. Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloCartaz com a imagens das vítimas do acidente aéreo de 2007. Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloMaria Estala Outor, em frente à 8º Vara Criminal Federal de São paulo, nesta quarta-feira (07). Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloRoberto Silva perdeu a filha Madalena Silva, 20 anos, comissária de bordo, no acidente da TAM. Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloAparecida Bertoldi, em frente a sede da Justiça Federal em São Paulo. Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloMovimentação do julgamento da TAM em São Paulo, nesta quarta-feira (07). Foto: Beatriz Atihe, iG São PauloVilma Oliveira, em frente à 8º Vara Criminal Federal de São Paulo. Foto: Beatriz Atihe, iG São Paulo

Três réus estão sendo julgados por atentado contra a segurança aérea: a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu, o vice-presidente de operações da TAM, Alberto Farjeman, e o diretor de segurança de voo da companhia, Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro.

Alguns parentes das vítimas do acidente fazem hoje nova vigília em frente ao Fórum Criminal Federal em São Paulo. Renato Gomes, pai de Julia e Maria Izabel, que morreram no acidente, disse esperar pela condenação dos réus. “Hoje, mais do que nunca, acredito nesta condenação. Se você me fizesse essa pergunta há um ano, eu não teria esta certeza, mas hoje eu acredito que vai haver a condenação e que há a possibilidade inclusive de uma prisão”. Ontem (7), duas testemunhas de acusação foram ouvidas – a desembargadora federal Cecilia Marcondes e o piloto João Eduardo Batalha Brosco.

Leia tudo sobre: acidente da TAMjulgamentoacidente aéreoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas