Coronel afirmou que vítima ajudou em denúncia contra PMs e que não acredita que menino seja autor das mortes

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) confirmou que o coronel Wagner Dimas, comandante do 18º Batalhão da Polícia Militar, será intimado pelo delegado do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) Itagiba Franco a depor sobre o caso das mortes do menino Marcelo Eduardo Pesseghini, de 13 anos, de seus pais, avó e tia , ocorridas na última segunda-feira, 05. O depoimento, no entanto, ainda não tem data marcada e deve ocorrer até segunda-feira (12).

Leia também:
Alienação mental e patologia social podem explicar tragédia familiar em SP
Abalado, irmão de PM morta desiste de buscar cachorro e chaves da casa

O comandante era chefe da mãe de Marcelo, Andreia Regina Bovo Pesseghini, de 36 anos. Em entrevista à Rádio Bandeirantes nessa quarta-feira (07), Dimas relatou que a cabo teria ajudado na investigação sobre o envolvimento de PMs em roubos a caixas eletrônicos. Além disso, o coronel disse não acreditar na principal suspeita das polícias Civil e Militar de que o filho do casal tenho assassinado a família e depois cometido suicídio.

Em nota, a PM informou não haver denúncias de Andreia contra colegas registradas na Corregedoria da Polícia Militar e que as declarações do comandante serão apuradas. Ao longo desta quinta-feira (08), o delegado responsável pelas investigações do caso ouvirá o relato de vizinhos da família.

Mais:
Opinião: Matando todos aos 13 anos
Polícia divulga imagens de carro que seria dirigido por menino
Tragédia em família: Tio-avô acusa polícia de direcionar investigação

*Com AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.