Testemunha diz ter visto Mércia Nakashima e Mizael juntos três dias após crime

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Depoimento foi dado no 2º dia de júri do vigia Evandro Bezerra. "Revelação é bombástica", disse defesa do réu

No segundo dia de júri do vigia Evandro Bezerra Silva, acusado de ser cúmplice de Mizael Bispo de Souza no assassinato da advogada Mércia Nakashima, uma testemunha em juízo afirmou que viu a vítima e Mizael juntos no dia 26 de maio de 2010, três dias depois da data em que, segundo as investigações, ela foi morta: 23 de maio. O ex-PM, Mizael foi condenado em março a 20 anos de prisão pelo crime.

Leia também:
Advogado nega tortura de réu do caso Mércia
Começa em Guarulhos o julgamento do segundo réu do caso Mércia
Acusado de ser cúmplice na morte de Mércia, vigia quer provar que sofreu tortura

O vigia Evandro Bezerra da Silva chega para o terceiro dia de julgamento no Fórum Criminal de Guarulhos, SP, nesta quarta-feira (31). Foto: Futura PressChegada do vigia Evandro Bezerra para o julgamento no Fórum Criminal de Guarulhos (SP), na manhã desta segunda-feira (29). Foto: Futura PressA mãe de Mércia, Janete Nakashima chega para o julgamento do vigia Evandro Bezerra da Silva, no Fórum Criminal de Guarulhos (SP), nesta terça-feira (30). Foto: Futura PressO advogado de Evandro, Aryldo de Paula. Foto: Futura PressO irmão de Mércia, Márcio Nakashima. Foto: Futura PressO assistente de acusação Alexandre de Sá Domingues, no Fórum Criminal de Guarulhos (SP) . Foto: Futura PressMovimentação em frente ao Fórum Criminal de Guarulhos (SP), na manhã desta segunda-feira (29), onde esta acontecendo o julgamento do vigia Evandro Bezerra da Silva. Foto: Futura PressHomem protesta antes do julgamento do vigia Evandro Bezerra da Silva, no Fórum Criminal de Guarulhos (SP). Foto: Futura PressFachada do Fórum Criminal de Guarulhos (SP), na manhã desta segunda-feira (29), onde esta acontecendo o julgamento do vigia Evandro Bezerra da Silva. Foto: Futura Press

Segundo o Ministério Público, responsável pela acusação do caso, Mizael recebeu carona do vigia para chegar até a represa onde o corpo e o carro da vítima foram descartados, em Nazaré Paulista, interior de São Paulo.

Convocada pela juíza Maria Gabriela Riscale Tojeira, responsável por presidir o julgamento no Fórum de Guarulhos, a testemunha teve o nome mantido em sigilo e chamada nos autos de "alfa". Ela alega ter visto a vítima com o ex-policial militar na praça de pedágio de uma estrada de Guararema, na Grande São Paulo. A declaração foi adiantada na segunda-feira (29), pela defesa, que considera a revelação "bombástica".

O promotor Rodrigo Merli, por sua vez, disse ser possível provar que Mizael estava em Guarulhos no dia 26. Depois de quatro depoimentos da acusação, foram ouvidas as testemunhas de defesa. O réu, preso na Penitenciária 2 de Tremembé, alega inocência. Ele deve ser ouvido nesta quarta-feira (31).

*com Agência Estado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas