Dilma e Haddad oferecem apoio a vítimas de incêndio em São Paulo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Desabrigados serão beneficiados por uma linha especial do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida

Os desabrigados pelo incêndio na favela de Heliópolis, em São Paulo, serão beneficiados por uma linha especial do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. Em telefonema ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), a presidente Dilma Rousseff garantiu ontem o socorro às vitimas do incêndio.

Leia também: Forte incêndio atinge favela em Heliópolis e deixa três mortos

Em nota oficial divulgada à noite, Dilma se solidarizou com as famílias das vítimas nesse "momento de dor". 

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, visitou por volta das 15h do último domingo (7), o local do incêndio na favela conhecida como Comunidade da Ilha, em Heliópolis, na zona Sul da capital.

Futura Press
Bombeiros trabalham em local que pegou fogo em Heliópolis

Após lamentar as três mortes decorrentes do incêndio, o prefeito conversou com parte dos 860 desabrigados que estão na quadra da Escola de Samba Imperador do Ipiranga, próximo ao local do incêndio, e explicou como funcionará os auxílios que serão dados pela Prefeitura. A visita de Haddad demorou pouco menos de uma hora.

A Prefeitura informou que equipes da Secretaria Municipal da Habitação estarão na comunidade na quarta-feira (10) e quinta-feira (11) para concluir o cadastro dos desabrigados para que eles recebam o benefício do auxílio aluguel. Neste domingo 503 famílias foram cadastradas.

Segundo a Prefeitura, "após o cadastramento - que será conferido com formulários de agentes de saúde e também de apoio da comissão de bairro para evitar distorções -, na semana seguinte, as vítimas receberão a primeira parcela de três meses do auxílio aluguel, totalizando R$ 1,2 mil - R$ 400 por mês".

O prefeito ressaltou a construção do conjunto habitacional Sabesp 2 e disse que o objetivo da Prefeitura é construir moradias sociais em um empreendimento na própria região do Ipiranga, próximo do local onde as vítimas viviam. O auxílio aluguel poderá ser renovado até que as famílias sejam atendidas definitivamente.

A Secretaria Municipal da Assistência Social já distribuiu itens de higiene pessoal, colchões, cobertores e cestas básicas para as vítimas do incêndio. Segundo a Prefeitura, a secretaria mobilizou sete profissionais no período da noite, além de dez desde a manhã para prestar o atendimento emergencial às famílias. As vítimas do incêndio receberam ainda café da manhã e receberão almoço e jantar.

Segundo a Defesa Civil, a maioria dos desabrigados preferiu seguir para casa de parentes. A Prefeitura está avaliando possíveis locais para receber as famílias que necessitam de abrigo. Por enquanto, a quadra da escola de samba Imperador do Ipiranga para onde as vítimas foram encaminhadas por solicitação da Subprefeitura da região, também está recebendo donativos para apoiar os desabrigados.

Já foram confirmadas três mortes - um homem, uma mulher e uma criança. A identidade das vítimas ainda não foi revelada. Pelo menos outras 19 pessoas ficaram feridas, sendo que três estão em estado grave. A princípio o atendimento aos feridos foi realizado no Hospital Heliópolis. No entanto, a Defesa Civil não soube informar se eles continuam internados no local ou foram transferidos.Cerca de 50 barracos foram atingidos pelas chamas, que ainda tem causa desconhecida.

O fogo na favela em Heliópolis começou por volta da 0h50 na altura do número 500 da Av. Almirante Delamare. Cerca de 50 barracos foram atingidos pelas chamas, que ainda tem causa desconhecida. Segundo a Defesa Civil, esse esclarecimento só será possível com o trabalho da perícia.

*Com Agência Estado

Leia tudo sobre: incêndioheliópolisigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas