Após protestos, rodovia e Marginal Pinheiros são liberadas em São Paulo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Na Marginal, os manifestantes desocuparam a pista após acordo com a Polícia Militar

Caminhoneiros voltaram a protestar nesta terça-feira (2), em São Paulo, na rodovia Cônego Domênico Rangoni e na Marginal Pinheiros. Manifestantes bloquearam as pistas para reivindicar pela redução de 50% na tarifa do pedágio durante a madrugada, diminuição no preço do óleo diesel e também são contrários à cobrança de tarifas para caminhões por eixos, mesmo quando passam pela praça de pedágio com os eixos suspensos.

Marcos Bezerra/Futura Press
protesto Marginal Pinheiros

A rodovia Cônego Domênico Rangoni, que liga a capital à Baixada Santista, foi desbloqueada pela Tropa de Choque após 26 horas de protesto. De acordo com Polícia Militar, não foi possível chegar a um acordo com os manifestantes. Segundo a Polícia Rodoviária estadual, as pistas na altura do quilômetro 250 estão liberadas nos dois sentidos, mas os motoristas ainda enfrentam trânsito lento na região.

Leia também: Caminhoneiros mantêm protestos e bloqueiam rodovias em sete Estados

A Marginal Pinheiros também esteve com grande lentidão devido à uma manifestação de caminhoneiros que interditou três faixas, exceto a faixa da esquerda da pista local, próximo a ponte Eusébio Matoso. Após negociação com a Polícia Militar, os manifestantes desocuparam a via pouco antes das 10h.

Mais: Protestos de caminhoneiros fecham rodovias e Rodoanel em São Paulo

De acordo com a CET, por volta das 9h, a pista expressa da Marginal Pinheiros apresentava congestionamento de 15 km.

Na última segunda-feira (1), os manifestantes bloquearam 23 rodovias em 9 Estados do País, como a Castello Branco, em São Paulo, a BR-381, no Espírito Santo, as BRs 242 e 202, na Bahia. 

Retranca

Realtime

http://Pergunta

  • Titulo Olho
    0 votos
    votar
  • Titulo Olho
    0 votos
    votar
Fechar [ x ]

Na Castelo Branco, que ficou bloqueada das 5h40 às 20h30, os motoristas pretendiam dormir dentro dos veículos, mas a PM frustrou o protesto usando bombas de efeito moral e balas de borracha, segundo os caminhoneiros. As filas chegaram a 8 km.

*Com Agência Brasil e Agência Estado

Leia tudo sobre: protestoscaminhoneirosigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas