Concentração está marcada para 15 horas na região da avenida Paulista, no centro de São Paulo. Movimento "Brasil Contra a Impunidade" organiza atos em oito cidades do País

Palco dos maiores protestos da capital paulista, o vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) volta a receber manifestantes neste sábado, às 15h, na avenida Paulista, região central. O ato público contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37, a chamada PEC da Impunidade, foi organizado pelo movimento “Brasil Contra a Impunidade” e ocorrerá em pelo menos outras sete cidades do País. Em São Paulo, quase 300 mil pessoas confirmaram presença na manifestação.

Página da manifestação na rede social Facebook
Reprodução
Página da manifestação na rede social Facebook

Entenda: Câmara adia votação da PEC 37 que limita poder de investigação do MP

A PEC 37 foi apresentada em junho de 2011 pelo deputado federal e delegado de polícia Lourival Mendes (PTdoB-MA). O texto altera trecho da Constituição, indicando que a apuração das infrações penais é função privativa das polícias Civil e Federal. A medida impedirá o Ministério Público de assumir a investigação de crimes, prática usual desde que a instituição teve os poderes ampliados na Constituição de 1988. 

Por meio de nota, a assessoria do Ministério Público esclareceu que os atos programados não foram idealizados pelo órgão. “A opinião pública vem debatendo o tema e demonstrando o desejo de rejeição da proposta”, disse o texto. No entanto, membros da instituição podem oferecer apoio ao protesto já que “na condição de cidadãos também estão preocupados com esta questão”.

A favor: Mais de 130 ações questionam poder de investigar do Ministério Público
Contra: Lei é mordaça e estimula impunidade

Outras cidades organizaram manifestações conta a corrupção para hoje. São elas: Aracaju (SE), às 9h, na Praça Fausto Cardoso; Brasília (DF), em frente ao Congresso Nacional, às 14h; Belém (PA), às 8h, ainda sem local definido; Curitiba (PR), às 10h, com concentração na av. Luiz Xavier, região da Praça do Osório; Júlio de Castilhos (RS), na Praça da Igreja Matriz, às 9h; Juiz de Fora (MG), às 13h30, em frente à Câmara Municipal, e Teresina (PI), às 9h, na av. Frei Serafim.

Na noite de ontem (21), manifestantes ocuparam a Praça Roosevelt, na região central da capital, contra o pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) e a aprovação da “cura gay” pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) . Há pelo menos duas semanas, a cidade de São Paulo tem registrado uma onda de protestos , alguns pacíficos e outros marcados pela violência. O primeiro tema que desencadeou as manifestações foi o reajuste da tarifa do transporte público, que acabou revogada pelo Estado .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.