Cidades do ABC Paulista voltam a reduzir o preço da tarifa do transporte público

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Passagens ficarão mais baratas a partir do mês de julho em sete cidades da região metropolitana. É a segunda revisão das tarifas naquela área

Agência Brasil

O mês de julho vai começar com transporte público mais barato em sete cidades do ABC Paulista,segundo o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne os prefeitos da região. Será a segunda revisão das tarifas naquela área. As decisões foram tomadas ontem (20), atendendo ao apelo popular, segundo justificou em nota o consórcio.

Veja imagens dos protestos no Brasil
SP: MPL encerra protestos, reforça origem de esquerda e diz que não é antipartidário

A exemplo do que ficou definido na capital paulista, o valor de R$ 3,20 passará para R$ 3,00, em Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires. Já em Rio Grande da Serra , o bilhete passará de R$ 3,00 para R$ 2,90. No último dia 5, o consórcio já havia reduzido o valor em R$ 0,20 neste caso e de R$ 0,10 nas demais cidades.

Manifestantes criticam Pelé após declaração polêmica: "Eu calaria" . Foto: Carol MartinsRonaldo também foi alvo de protesto: "Gol contra". Foto: Carol MartinsPopulação caminha pela Avenida Paulista em protesto na capital. Foto: Futura PressJovens protestam contra a PEC 37 . Foto: Carol MartinsIrmã Fátima participou da manifestação com um time de irmãs: 'Estou aqui porque sou brasileira, estou aqui pelo amor, para colocar para fora todo o medo'. Foto: Iran GiustiA muçulmana Sarah Ghuraba, 25, foi à manifestação com amigas. Foto: Iran GiustiManifestante com a bandeira do Brasil em sétimo dia de protestos em São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes protestam contra o Pastor Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara . Foto: Futura PressManifestantes rasgam bandeira do PT durante protesto na Avenida Paulista. Foto: Futura Press"Vândalo, você não nos representa", diz cartaz em manifestação de SP. Foto: Futura PressManifestação reúne milhares de pessoas em São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes caminham na Avenida Paulista, em São Paulo. Foto: Futura PressCartazes pedem fim da PEC 37 que limita poder de investigação do Ministério Público. Foto: Futura PressJovem fica ferido em confronto entre manifestantes com partido e sem partido . Foto: Ricardo GalhardoManifestantes durante sétimo dia de protestos em SP. Foto: Futura PressMultidão toma conta da Avenida Paulista, em São Paulo. Foto: Futura PressManifestantes comemoram revogação do aumento da tarifa do transporte público que voltou a custar R$ 3. Foto: Futura PressO biólogo José Henrique Lemos, de 54 anos, filiado ao Psol, discutiu com manifestantes que queriam impedir que bandeiras fossem erguidas. Foto: Renan TruffiManifestantes no início do sétimo dia de protestos na capital paulista. Foto: Futura PressO ambulante Hugo Valentino aproveitou para vender camisetas com mensagens de "Fora Dilma" e "Joaquim Barbosa - Presidente do Brasil". Cada uma custa R$ 20. Foto: Vitor SoranoManifestantes pedem fim de corrupção. Foto: Futura PressSão Paulo enfrenta sétimo dia de manifestações. Foto: Futura PressGrupos de manifestantes com partido e sem partido chegaram a discutir em vários pontos da avenida. Foto: Renan TruffiManifestantes pedem impeachment de governantes. Foto: Futura PressManifestação interditou os dois sentidos da via. Foto: Futura PressPoliciais observam a manifestação na capital. Foto: Futura PressManifestação na frente da Estação do Metrô Santana. Foto: Futura Press

No comunicado, a entidade justificou que essa queda foi um reflexo da Medida Provisória 617/13, publicada no Diário Oficial da União (DOU) em 31 de maio, que baixou a zero as alíquotas de PIS/Cofins para as empresas de transporte coletivo. Diante de mais uma redução, no entanto, o subsídio implicará cortes de investimentos, de acordo com o consórcio.

Entenda: Haddad e Alckmin anunciam redução no preço da passagem em São Paulo

“A redução para R$ 3,00 na capital nos coloca na obrigação de acompanhar esse valor, mas isso significa que as cidades terão de fazer sacrifícios adicionais”, disse o prefeito Luiz Marinho, em nota. Ele informou que os integrantes do consórcio pretendem negociar o aumento do subsídio com os governos estadual e federal.

Os atos populares contra o aumento da tarifa do transporte público, na região do ABC Paulista, foram liderados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que além de bloqueios na rodovia Anchieta, fizeram protestos em frente ao Paço Municipal, no último dia 19.

Leia tudo sobre: igspaumento da tarifaabc paulistaprotestos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas