Grupo ajudou dez pessoas com ferimentos com estilhaços de vidros e desmaio. Assista a vídeo

Profissionais e estudantes da área de medicina se reuniram na noite de terça-feira (18) para  ajuda aos feridos da manifestação realizada na Sé, em São Paulo. Coordenada por Denize Ornellas, 32 anos, pouco mais de dez voluntários levaram seu próprio material para socorrer casos leves e encaminhar para o hospital mais próximo, a Santa Casa.

“Acreditamos que a manifestação é legítima e estamos fazendo o atendimento de quem precisar e sem descriminação”, disse a médica. O grupo esteve presente na primeira manifestação pacífica e não atendeu a nenhum chamado. Nesta sexta manifestação, 10 pessoas foram atendidas por corte e ferimentos com estilhaços de vidros e desmaio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.