Agentes do Deic, responsável pela investigação, divulgaram nome do 1º suspeito . Ontem (18), integrantes condenavam atos violentos compartilhando fotos nas redes sociais

Cena de depredação reproduzida da TV
Reprodução
Cena de depredação reproduzida da TV

A Polícia Civil de São Paulo diz ter identificado um dos manifestantes que depredaram a Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, na noite de terça-feira (18), durante o sexto ato contra o aumento da tarifa dos transportes urbanos na capital. As informações são da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Entenda: Imagens de invasor de SP são divulgadas em rede social

Hoje:  SP amanhece com novos protestos por moradia, reajuste salarial e contra tarifa

Segundo o órgão, o Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) é responsável pela investigação e apenas divulgou o primeiro nome do manifestante, que seria Tiago. No início do dia, agentes de departamento foram até a casa do suspeito, mas foram avisados que ele não dormiu no local. Policiais civis continuam as buscas. 

6º ato: Manifestantes cantam Hino em frente ao Choque e outros depredam Prefeitura
Em noite de barbárie, manifestantes atiram pedra até contra o ‘Super-Homem’
Manifestação termina com cena melancólica na avenida Paulista

Durante os atos violentos na noite de ontem, manifestantes e grupos vêm usando as redes sociais para fazer denúncias de abusos durante o protestos. A página do Movimento Anarquista no Facebook estampou reproduções de imagens de TV na tentativa de identificar o grupo mais violento. 

Dizia o texto: "Esse cara aí, com pinta de playboy, filhinho de político, que só quer pagar de valentão. Ele que tá fazendo confusão e começou tudo, inclusive fez com que os manifestantes brigassem entre si". A imagem rapidamente começou a ser compartilhada na rede social.

Outro grupo, o Marcha da Liberdade, usou a rede social para divulgar fotos de supostos policiais que teriam insuflado manifestantes que protestaram na noite de segunda-feira (17) na porta do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.