Movimento Passe Livre marca sexto protesto em São Paulo para hoje

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Concentração será na Praça da Sé, no centro de São Paulo. Pela manhã, Prefeitura se reúne com com MPL em reunião com o Conselho da Cidade

Agência Estado

Um dia após mais de 60 mil pessoas saírem as ruas de São Paulo, o Movimento Passe Livre (MPL) marcou um novo protesto para esta terça-feira, às 17h, com concentração na Praça da Sé. Pelo Facebook, onde foi convocada a sexta manifestação pela redução da tarifa do transporte público em São Paulo, pouco mais de 118 mil pessoas confirmaram até as 9h30 desta manhã a participação, dentre o 1 milhão que foram convidadas. No texto de apresentação do ato, o MPL diz: "O destino é claro, único, objetivo e específico: revogar o aumento". 

Rio de Janeiro: Manifestantes marcam próximo protesto para quinta-feira

Pela manhã, a Prefeitura de São Paulo realiza uma reunião extraordinária com o Conselho da Cidade para discutir o transporte público na capital. O Movimento Passe Livre (MPL) foi convidado para fazer uma apresentação.

Governo:
Ministro promete conversar com governadores para evitar conflitos
- ‘É próprio dos jovens se manifestarem’, diz Dilma sobre protestos

Ponte Estaiada lotada após encontro de dois blocos de manifestantes. Foto: Igor Frias VieiraPonte Estaiada lotada após encontro de dois blocos de manifestantes. Foto: Igor Frias VieiraAv. Faria Lima lotada na altura do Shopping Iguatemi, um dos mais caros da cidade. Foto: Igor Frias VieiraManifestantes forçam o portão do Palácio dos Bandeirantes, no fim da noite desta segunda-feira, em São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestante na Faria Lima carrega vinagre e alface, em alusão às prisões na semana passada. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraCartaz faz alusão à repórter que foi atingida no olho por uma bala de borracha, na última quinta-feira. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraIdosa participa da manifestação. Foto: Igor Frias VieiraIdosa participa da manifestação. Foto: Igor Frias VieiraManifestante usa máscara do grupo Anonymous durante concentração no Largo da Batata. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraConcentração no Largo da Batata. Foto: Igor Frias VieiraGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGProtesto passa pela Faria Lima, na altura da Rua Tabapuã. Foto: Rafael MantegaManifestante empunha cartaz durante protesto do Movimento Passe Livre na segunda-feira (17). Foto: Susan Souza/iGManifestante empunha cartaz durante protesto do Movimento Passe Livre na segunda-feira (17). Foto: Susan Souza/iGMatheus Preis, um dos líderes do Movimento Passe Livre. Foto: Renan TruffiProtesto contra o aumento das passagens de ônibus, trens e metrô, em São Paulo (SP), nesta segunda-feira. Foto: Gabriela BilóInício da passeata que saiu do Largo da Batata, na Zona Oeste de São Paulo. Foto: Futura PressManifestante empunha cartaz no início do protesto no Largo da Batata. Foto: Natália EirasCartaz na entrada do metrô Faria Lima ironiza prisão de jornalista que  no protesto de quinta portava vinagre para se proteger do gás lacrimogêneo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestante pinta o rosto antes do início do protesto, na estação faria lima. Foto: Vitor Sorano/iGInvanise Marchesano, 82 anos, aposentada: "Eu não págo mais passagem, mas não consigo usar metrô no horário de pico nem para ir ao médico". Foto: Vitor Sorano/iGCaco Barcellos é hostilizado por manifestantes do 5º protesto do Movimento Passe Livre. Foto: Ricardo Galhardo/iG São PauloCartazes colados em mureta no Largo da Batata, durante preparação do protesto de 17/06. Foto: Futura PressAlunos da Universidade de São Paulo (USP) se reúnem para fazer faixas antes protesto contra o aumento do transporte público. Foto: Alex FalcãoManifestantes se reúnem no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, nesta segunda-feira. Foto: Euclides Oltramari Jr

Na segunda-feira, ocorreram protestos em pelo menos nove capitais e no Distrito Federal  em uma das maiores mobilizações no País desde o Fora Collor, em 1992. A redução do preço da tarifa de ônibus se juntou a várias bandeiras: gastos da Copa do Mundo, investimento em saúde e educação, PEC 37, combate à corrupção etc. 

Apartidário: Militantes rechaçam partidos em protesto por redução da passagem

A maioria deles foi pacífica, à exceção do Rio de Janeiro terminou com conflito entre PMs e manifestantes na Assembleia Legislativa e um ficou ferido. Em Brasília , em uma ação inédita, os manifestantes furaram o bloqueio da polícia e subiram no teto do Congresso. Após o corre-corre, o acesso foi liberado e eles ficaram por cerca de cinco horas. Em São Paulo, todo o trajeto foi feito de forma pacífica e com apoio da PM, uma cena distinta da praça de guerra que se viu na semana passada. No final do protesto, um grupo se dispersou e foi ao Palácio dos Bandeirantes e tentou invadir o prédio. Um grupo de 20 pessoas amanheceu em frente à sede do governo de São Paulo

Leia tudo sobre: aumento de tarifaigspprotestosmovimento passe livre

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas