Em protesto pacífico em SP, policiais até indicaram o caminho para manifestantes

Por Juliana Moraes - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Manifestantes com cartazes perguntaram a policiais que estavam em frente a DP onde era a avenida 9 de Julho, caminho da passeata. PMs disseram a direção e desejaram boa sorte

Excluindo o confronto ocorrido no fim da noite na região do Palácio dos Bandeirantes e uma confusão na porta da estação Consolação do Metrô, na avenida Paulista, o protesto contra o aumento das passagens em São Paulo foi marcado pela boa relação entre policiais e manifestantes. Na porta do 78º DP, onde mais de 200 pessoas foram levadas para averiguação após o protesto mais violento na última quinta-feira, o clima foi de serenidade.

Brasil: Em onda de protestos, mais de 200 mil tomam as ruas do País
São Paulo: Protesto pacífico leva mais de 60 mil às ruas de São Paulo
Caco Barcellos é hostilizado por manifestantes em São Paulo
Manifestantes pedem e major da PM se senta em avenida em São Paulo; assista

Ponte Estaiada lotada após encontro de dois blocos de manifestantes. Foto: Igor Frias VieiraPonte Estaiada lotada após encontro de dois blocos de manifestantes. Foto: Igor Frias VieiraAv. Faria Lima lotada na altura do Shopping Iguatemi, um dos mais caros da cidade. Foto: Igor Frias VieiraManifestantes forçam o portão do Palácio dos Bandeirantes, no fim da noite desta segunda-feira, em São Paulo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestante na Faria Lima carrega vinagre e alface, em alusão às prisões na semana passada. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraCartaz faz alusão à repórter que foi atingida no olho por uma bala de borracha, na última quinta-feira. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraIdosa participa da manifestação. Foto: Igor Frias VieiraIdosa participa da manifestação. Foto: Igor Frias VieiraManifestante usa máscara do grupo Anonymous durante concentração no Largo da Batata. Foto: Igor Frias VieiraCena da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulista em 17/06. Foto: Igor Frias VieiraConcentração no Largo da Batata. Foto: Igor Frias VieiraGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGGrupos de manifestantes se reunem na Ponte Estaiada e se dirigem ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Susan Souza/iGProtesto passa pela Faria Lima, na altura da Rua Tabapuã. Foto: Rafael MantegaManifestante empunha cartaz durante protesto do Movimento Passe Livre na segunda-feira (17). Foto: Susan Souza/iGManifestante empunha cartaz durante protesto do Movimento Passe Livre na segunda-feira (17). Foto: Susan Souza/iGMatheus Preis, um dos líderes do Movimento Passe Livre. Foto: Renan TruffiProtesto contra o aumento das passagens de ônibus, trens e metrô, em São Paulo (SP), nesta segunda-feira. Foto: Gabriela BilóInício da passeata que saiu do Largo da Batata, na Zona Oeste de São Paulo. Foto: Futura PressManifestante empunha cartaz no início do protesto no Largo da Batata. Foto: Natália EirasCartaz na entrada do metrô Faria Lima ironiza prisão de jornalista que  no protesto de quinta portava vinagre para se proteger do gás lacrimogêneo. Foto: Vitor Sorano/iGManifestante pinta o rosto antes do início do protesto, na estação faria lima. Foto: Vitor Sorano/iGInvanise Marchesano, 82 anos, aposentada: "Eu não págo mais passagem, mas não consigo usar metrô no horário de pico nem para ir ao médico". Foto: Vitor Sorano/iGCaco Barcellos é hostilizado por manifestantes do 5º protesto do Movimento Passe Livre. Foto: Ricardo Galhardo/iG São PauloCartazes colados em mureta no Largo da Batata, durante preparação do protesto de 17/06. Foto: Futura PressAlunos da Universidade de São Paulo (USP) se reúnem para fazer faixas antes protesto contra o aumento do transporte público. Foto: Alex FalcãoManifestantes se reúnem no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, nesta segunda-feira. Foto: Euclides Oltramari Jr

O clima era tão ameno que sete manifestantes, com cartazes nas mãos, estavam tentando chegar na avenida Nove de Julho e pediram informações aos policiais que estavam em frente à delegacia. Os policiais prontamente indicaram o caminho e ainda desejaram boa sorte. Os jovens agradeceram e seguiram marchando.

O delegado Luis Francisco Segantin Jr., responsável pelo setor de inteligência da 1ª Delegacia Seccional, passou pelo DP e disse que já esperava que seria um movimento pacífico. "Está tudo tranquilo por aqui, não é mesmo?", perguntou ele para a reportagem. "Pode ficar certa de que não teremos nenhuma ocorrência nesse distrito por conta das manifestações. Hoje não vamos prender ninguém", completou.

Os advogados Camila Guedes André Lozano Andrade, ambos de 27 anos, estavam à espera de manifestantes detidos. Não filiados a partidos, ele alegaram que não estavam lá para "capitanear" clientes. Apenas queriam ajudar de algum jeito e se ofereceram para prestar serviço gratuito, mas não precisaram agir. Até 23h50, nenhuma ocorrência sobre os protestos foi registrada.

Leia tudo sobre: protestomanifestaçãoaumento das passagensigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas