Durante o protesto do Movimento Passe Livre, que acontece no Largo da Batata, o jornalista é chamado de "manipulador" por militantes do PCO

Caco Barcellos é hostilizado por manifestantes do 5º protesto do Movimento Passe Livre
Ricardo Galhardo/iG São Paulo
Caco Barcellos é hostilizado por manifestantes do 5º protesto do Movimento Passe Livre

O jornalista Caco Barcellos, da Rede Globo, foi hostilizado e impedido de trabalhar por um grupo de aproximadamente 100 manifestantes que participavam da concetração do protesto desta segunda-feira (17) no Largo da Batata, o quinto convocado pelo Movimento Passe Livre.

Barcellos foi cercado por manifestantes que, de forma agressiva, tentaram expulsar o jornalista da manifestação aos gritos de “manipulador” e palavrões. Ele ainda tentou argumentar: “Só fui impedido de trabalhar pela ditadura e sob tortura”.

Entre os mais exaltados estavam os militantes do Partido da Causa Operária (PCO): “Eu sou o povo, eu decido quem pode participar”, gritava, Renato Santos, que se identificou como militante do PCO.

Leia também: Comandante-geral da PM pede protesto contra mensalão

Enquanto um grupo hostilizava o repórter da TV Globo, a grande maioria dos manifestantes condenava o ato de agressividade, lembrando que Barcellos se notabiliza pela defesa dos direitos humanos e que chegou a sofrer ameaças de morte, por conta do livro Rota 66 , no qual denuncia execuções praticadas pela tropa de elite da Policia Militar de São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.