Projeto de lei, que tem apoio de religiosos no Congresso, cria auxílio financeiro para incentivar mulheres a não optarem pelo aborto, mesmo quando o filho é fruto de um estupro

Ato reuniu grupo na Praça da Sé, na região central da capital paulista
Gabriela Bilo/Futura Press
Ato reuniu grupo na Praça da Sé, na região central da capital paulista

Centenas de pessoas participam de um protesto na Praça da Sé, centro de São Paulo, neste sábado (15), contra a aprovação da “bolsa-estupro”, como foi apelidado o projeto de lei do Estatuto do Nascituro. Aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, no dia 6 de junho, a proposta dá direitos ao feto e cria auxílio financeiro para incentivar mulheres a não optarem pelo aborto, mesmo quando o filho é fruto de um estupro. O projeto tem apoio da bancada religiosa no Congresso, mas ainda precisa passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir a plenário - e seguir para o Senado. Apenas a bancada do PT se posicionou contra o projeto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.