Sérgio Silva participava da cobertura jornalística do 4º protesto quando foi atingido no olho. O profissional ficou internado durante a madrugada e foi transferido para o H. Olhos

Um fotógrafo foi atingido no olho por uma bala de borracha durante a manifestação contra o aumento de tarifa do transporte público nessa quinta-feira (13), no centro de São Paulo. Sérgio Silva trabalha na agência Futura Press e estava participando da cobertura jornalística do protesto quando foi atingido. Segundo a mulher da vítima, a jornalista Kátia Passos, Silva corre o risco de perder a visão. "A situação dele é muito grave. A chance de recuperar a visão é minima", disse ao iG

A manifestação: 4º protesto contra tarifa termina com mais 230 presos em São Paulo
Vídeo: Veja imagens e personagens do confronto desta quinta-feira em SP
Polícia Militar atirou até em quem pedia 'não machuquem os meninos'
PM prende, agride e impede trabalho de jornalistas em protesto em São Paulo

Silva ficou internado no hospital Nove de Julho durante toda a madrugada e nesta manhã foi transferido ao H. Olhos, na região do Paraíso. A assessoria de imprensa do hospital disse que não fornecerá informações sobre o paciente "por uma questão de privacidade e segurança". 

Jornalista detido por 'porte de vinagre' durante protesto é liberado em SP
Repórter é baleada no olho com bala de borracha durante protesto em São Paulo
Haddad diz que valor da passagem será mantido e repudia violência dos protestos

Durante o protesto de ontem (13), policiais da Rota, fora do foco de confronto, dispararam aleatoriamente balas de borracha contra pessoas que estavam na rua. A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, que se identificou antes da ação, também foi alvo dos PMs.

A repórter Giuliana Vallone, da TV Folha, levou um tiro de bala de borracha no olho e o fotógrafo da Folha de S. Paulo Fábio Braga foi alvo de três disparos. "A Polícia mirou em cima de mim." O jornalista Piero Locatelli, da revista Carta Capital, foi detido por portar uma garrafa de vinagre. Levado ao 78º DP (Jardins), foi liberado à noite.

O secretário da Segurança Pública, Fernando Grella, determinou a apuração dos episódios com profissionais da imprensa.

*com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.