Com efetivo extra, polícia se prepara para nova ação do Movimento Passe Livre, em São Paulo. Agentes realizarão imagens durante ato como provas contra os manifestantes

Agência Estado

A polícia paulista está se preparando para o protesto marcado para as 17h desta quinta-feira (13) com agentes extras e criando meios para prender mais manifestantes por eventuais atos de vandalismo. A Polícia Militar filmará a ação por meio do sistema "Olho de Águia", que inclui imagens de helicópteros e câmeras espalhadas pela cidade.

Entenda: Inspirados pela revolta turca, jovens engrossam passeatas pelo Brasil

Os PMs que estiverem pelas ruas do centro também contarão com câmeras. As imagens serão usadas como provas em eventuais processos judiciais e também serão encaminhadas para o Ministério Público. A Polícia Civil pretende também infiltrar agentes no meio do protesto, também com o objetivo de responsabilizar criminalmente os responsáveis pelo quebra-quebra.

Leia mais:

“A gente tenta conter os punks”, diz liderança do Movimento Passe Livre
Jovens tomam as ruas e recorrem a coletivos para retomar protestos no Brasil
“Continuaremos até a tarifa cair”, diz manifestante
Vídeo mostra policiais agredindo jornalista em manifestação

Ontem, 13 pessoas continuavam detidas pelos protestos. A estratégia da polícia para manter os manifestantes presos é enquadrar quem cometer vandalismo por formação de quadrilha, o que tem gerado discussões. Também haverá a presença de policiais extras, retirados do trabalho administrativo para reforçar o policiamento do centro.

De acordo com o major Marcel Soffner, porta-voz da PM, no último protesto quem fez o papel de dispersar os manifestantes foi a Força Tática do centro. A Tropa de Choque não foi utilizada. Se necessário, eles podem reforçar o efetivo do evento. O objetivo da PM é deixar faixas livres para a circulação de veículos e impedir que os manifestantes bloqueiem vias vitais para o tráfego da cidade, como as marginais Tietê e Pinheiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.