Greve da CPTM surpreende usuários e lota plataformas de ônibus em São Paulo

Por Carolina Garcia - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Na estação Pinheiros, zona oeste da cidade, plataformas ficaram lotadas desde às 7h; operação Paese não consegue absorver volume de usuários, que buscam alternativas

A paralisação parcial dos ferroviários provocou surpresa entre os passageiros da Estação Pinheiros, uma das principais áreas de transferência para as linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na zona oeste de São Paulo. Desde as 7h, plataformas ficaram lotadas com usuários perdidos e surpresos pela greve. A cena mais comum nesta manhã é a de passageiros falando ao celular para comunicar atrasos.

Saiba mais: Greve da CPTM prejudica linhas de trem em São Paulo
Decisão:
Funcionários da CPTM decretam greve em quatro linhas de trem

Passageiros enfrentam longas filas do Paese no Terminal Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPassageiros na estação Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, tentam utilizar ônibus Paese. Foto: Rafael Brito/Futura PressLarissa Dias está há uma semana no emprego e esperava compreensão dos novos chefes . Foto: Carolina Garcia/iG São PauloUsuários foram surpreendidos pelo fechamento da linha. Cena comum hoje foi o uso de celulares para comunicar atrasos. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloCena comum nesta manhã. Na foto, Adriana conta ao chefe que chegará atrasada. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPassageiros aguardam ônibus no terminal Pinheiros pela operação Paese. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPassageiros aguardam ônibus no terminal Pinheiros pela operação Paese. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPassageiros aguardam ônibus no terminal Pinheiros pela operação Paese. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPortões da Estação Vila Olímpia, da CPTM, estavam fechadas na manhã desta quinta-feira. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPortões da Estação Vila Olímpia, da CPTM, estavam fechadas na manhã desta quinta-feira. Foto: Carolina Garcia/iG São PauloPortões da Estação Vila Olímpia, da CPTM, estavam fechados na manhã desta quinta-feira. Foto: Carolina Garcia/iG São Paulo

De acordo com comunicado emitido pela CPTM, apenas algumas linhas operam normalmente nesta quinta-feira (13), entre elas: Linha 7-Rubi (Luz - Jundiaí), Linha 8-Diamante (Júlio Prestes - Itapevi), Linha 10-Turquesa (Luz - Rio Grande da Serra), Linha 11-Coral / Expresso Leste (Luz - Guaianazes) e Linha 12-Safira (Brás - Itaim Paulista).

Carolina Garcia/iG São Paulo
Cena comum nesta manhã. Na foto, Adriana Teixeira conta ao chefe que chegará atrasada

Adriana Teixeira, 35 anos, foi uma das usuárias que teve de comunicar seu atraso ao trabalho devido à greve. Ao deixar sua residência em Mauá, na região do Grande ABC, ela nao sabia que teria seu trajeto interrompido pela paralisação.

Mais: Rodízio de veículos é suspenso em São Paulo após paralisação

Tarifa: Grupo promete parar com protestos por 45 dias se aumento for suspenso

Líder de higiene em uma conhecida rede de laboratórios, Adriana tentou avisar seu supervisor que enfrentava uma longa fila para pegar o ônibus da operação Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência) e que não chegaria no horário.

Zona sul: Greve nos trens faz terminal Santo Amaro virar palco de brigas

"Ele nao quer saber, falou para eu me virar. A gente quer trabalhar, mas só quero um transporte digno". Indignada com a insistência do chefe, ela chegou a pedir uma condução da empresa, que foi negada. "Eles querem a gente lá e sem nem saber quais as condições que enfrentei. Isso é justo?".

Carolina Garcia/iG São Paulo
Ônibus da operação Paese fica lotado com usuários de linhas da CPTM em greve

Sem previsão para embarque, agentes da SPTrans indicam linhas alternativas aos passageiros. "Esse serviço do Paese não dá conta, pagar pode ser a melhor opção", explicou uma agente. Cerca de doze funcionarios foram disponibilizados para informar a população, no entanto, eles mal podiam ser encontrados no meio da multidão. Sem informação, muitos passagerios acabam desistindo e tentam uma caminhada até a região do Largo da Batata, também na zona oeste, em busca de uma oferta maior de ônibus.

Assim decidiu Larissa Dias, 22 anos. Apenas há uma semana no emprego de analista jurídico, ela disse acreditar que os novos chefes não ligariam para o seu atraso. "Com certeza não vou ser a única, eles devem entender. Fico um pouco preocupada porque sou nova lá. Mas essa situação da cidade vai além do meu controle, não podemos fazer nada", disse.

O promotor de eventos Mauricio Vieira Novaes, 21 anos, confessou que estava preocupado em perder o último dia de um treinamento, na região do Morumbi. "Esse curso só é oferecido uma vez por ano. A greve tinha que ser justo hoje?". Há uma hora do seu curso, Novaes foi surpreendido com uma ligação do seu superior informando que uma van passaria na região para buscar funcionários afetados pela greve.

Leia tudo sobre: igspcptmsão paulotremgreve da cptmparalisaçãotrens

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas