Campinas anuncia redução do preço da passagem de ônibus

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Prefeito Jonas Donizette (PSB) disse que corte de R$ 0,10 no valor da tarifa foi possível por causa da desoneração do PIS e Cofins, anunciado recentemente pelo governo federal

Agência Estado

O prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette (PSB), anunciou na tarde desta quarta-feira (12) a redução na tarifa de ônibus da cidade de R$ 3,30 para R$ 3,20. O novo preço da passagem passa a valer no dia 30 de junho. "Em virtude da desoneração do PIS e do Cofins que foi divulgada pela presidenta Dilma (Rousseff), fizemos estudos na cidade de Campinas e vamos rebaixar o preços da passagem de ônibus. O preço estava caro. Para mim, era muito incômodo esse valor que tinha subido na gestão passada. Eu achava salgado R$ 3,30. Agora estamos diminuindo os R$ 0,10, porque para o trabalhador, faz diferença", afirmou.

Veja imagens do confronto entre policiais e estudantes no centro de São Paulo

Euclides Oltramari Jr./Futura Press
Na capital paulista, aumento da tarifa tem provocado série de protestos

Sobre os protestos contra o aumento de tarifa em São Paulo, o prefeito defendeu que têm que ser respeitados, desde que sejam pacíficos. "Mas tem havido excessos. Vimos um policial sendo agredido por um grupo de manifestantes, isso é inaceitável, Todo protesto tem limite, ele tem que ter ordem. Aqui nos antecipamos, não aconteceu e espero que não aconteça."

Pela internet, no entanto, um grupo de manifestantes se organiza para um protesto no dia 20 na cidade, localizada no interior de São Paulo. Mais de 1 mil pessoas confirmaram presença. Sobre a decisão de algumas prefeituras, em maioria de prefeitos petistas, ter reduzido a tarifa, Donizette defendeu que a decisão não é partidária. 

"Não sou do PT e estou tomando essa decisão. No governo, partido a gente tem para disputar a eleição. Foi uma mensagem minha para a população que teríamos um bom grau de convivência tanto com o governo estadual como com o governo federal", disse o prefeito, ao defender que outras prefeituras podem determinar a redução com base na desoneração do PIS e do Cofins, independente de partido.

Leia também:
Protesto contra aumento da passagem em SP tem confronto com a polícia
Repórteres do iG contam como foram os conflitos entre PM e manifestantes

O aumento foi comunicado aos empresários do setor do transporte em uma reunião na terça-feira (11). "Houve da parte deles reivindicações que eu decidi não atender. O fato da desoneração em si era suficiente para que fizéssemos o rebaixamento. Eles alegaram que teve recentemente o aumento do preço do diesel e também o dissídio salarial dos trabalhadores que foi de 8%. Mas estamos fazendo esse rebaixamento, sem mexer em nenhum outro ponto financeiro", explicou o prefeito.

As empresas chegaram também a pedir aumento no subsídio pago pela prefeitura, que hoje é de R$ 2,1 milhões por mês. Os empresários alegaram, segundo o prefeito, que com a redução de R$ 0,10 na tarifa eles terão um prejuízo mensal de R$ 870 mil.

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) informou que com a redução da passagem elas receberão com os 8,7 milhões de passageiros ano R$ 30 milhões - já com os subsídios - enquanto o custo do sistema, já com a desoneração dos PIS e Cofins, será de R$ 33 milhões.

"O desequilíbrio econômico financeiro da prefeitura com as concessionárias vai aumentar. As empresas esperam que a prefeitura passa a fazer a parte dela, desonerando o ISS de 2% e retirando a taxa de gerenciamento, que também é de 2%. E que o governo do Estado desonere o ICMS do diesel", afirmou o diretor de Comunicação da Transurc, Paulo Bardall.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas