Jovem assume morte de mulher que entrou em favela por engano

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Economista foi assassinada com um tiro na cabeça ao errar caminho das prais no litoral de SP. Policiais acreditam que suspeito está assumindo crime no lugar do verdadeiro criminoso

Agência Estado

Um rapaz de 19 anos se apresentou, espontaneamente, nesta segunda-feira (3) à polícia de São Vicente (SP) afirmando ser o responsável pelo assassinato da economista Elza Gomes dos Santos, de 52 anos, morta com um tiro na cabeça na sexta-feira (31), na Vila Margarida, ao errar o caminho das praias, aproximando-se de uma favela, ao sair da Rodovia dos Imigrantes.

Leia também:
Homem morre baleado após assalto na frente de escola em Higienópolis
Cai 19% número de mortes em estradas de São Paulo no feriado

O autor do crime fugiu do local sem levar nada, mas deixou uma bicicleta na frente do carro. Os investigadores do 2.º Distrito Policial (DP), onde a morte é apurada, aceitaram com reservas a declaração do jovem. Eles acreditam que o rapaz estaria tentando desviar a atenção do verdadeiro criminoso.

Elza foi enterrada hoje, em Campo Grande (MS), depois de uma peregrinação dos familiares para a liberação do corpo no domingo (2). O irmão da vítima, Wilson Gomes dos Santos, levou sete horas entre Santos e São Vicente, a fim de obter o aval do Instituto Médico-Legal (IML) para seguir viagem com o corpo.

Wilson Gomes dos Santos reclamou que foi muito mal atendido em São Vicente, uma vez que exigiram os documentos originais da vítima, que estariam presos no 2.º DP, que não funciona aos domingos. Ele teve de fazer o reconhecimento do corpo, retornar até a Delegacia-Sede da cidade e, aí sim, retornar ao IML.

Leia tudo sobre: GERALSão PaulolitoralSão Vicentemortefavelajovem

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas