Rodovias de São Paulo passarão de 345 a 894 radares

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Atualmente, em todas as rodovias estaduais operam 345 radares fixos, dos quais 183 estão em estradas do DER e 162 em rodovias concedidas à iniciativa privada

Agência Estado

A fiscalização de excesso de velocidade nas estradas de São Paulo vai mais que dobrar até o fim deste ano. Uma nova licitação prevê a contratação de 549 radares fixos para as rodovias administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) em todas as regiões do Estado. Desses, 114 serão do tipo lombada eletrônica, com registro digital da velocidade, e 124 terão dispositivo para a leitura das placas dos veículos e cálculo do tempo da viagem (cobrança ponto a ponto).

Leia também: Em semana de feriado, Imigrantes ganha mais duas faixas na volta para São Paulo

Rodrigo Zanotto/Especial para AAN
Radares em São Paulo passarão a 894

Atualmente, em todas as rodovias estaduais operam 345 radares fixos, dos quais 183 estão em estradas do DER e 162 em rodovias concedidas à iniciativa privada. Com os novos radares, o número chegará a 894 medidores fixos.

De acordo com o superintendente do DER, Clodoaldo Pelissioni, o reforço no controle da velocidade visa a aumentar a segurança e reduzir acidentes. "Tivemos em torno de 7 mil mortes no trânsito em todo o Estado no ano passado. Dessas, pouco mais de 2 mil ocorreram em rodovias estaduais. Muitos acidentes talvez pudessem ser evitados se os limites de velocidade fossem respeitados", disse. Com o maior controle, segundo ele, a expectativa é reduzir pelo menos à metade o número de mortes no Estado até 2020.

Um levantamento feito pelo DER entre 2005 e 2011 identificou mais de 500 pontos críticos, com maior incidência de excesso de velocidade pelos motoristas, nas 144 rodovias paulistas que ainda não têm bases fixas de radar. O órgão estadual administra 16,4 mil quilômetros de rodovias e a média é de um radar fixo a cada 89,6 km. O controle da velocidade é quase três vezes menor nessas estradas do que nas rodovias sob concessão. Nos 6,3 mil km de malha concedida, a média é de 1 equipamento fixo a cada 38,8 km.

Edital e instalação

Segundo informações do DER, o edital para a contratação de equipamentos possui 14 lotes que abrangem as regiões de Campinas, Itapetininga, Bauru, Araraquara, Cubatão, Taubaté, Assis, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São Paulo, Araçatuba, Presidente Prudente, Rio Claro e Barretos. Cinco consórcios de empresas do setor se habilitaram para a disputa: SVS, Monitoramento Paulista, CTL Monitoramento, PLP Trânsito Seguro e Consórcio Paulista de Fiscalização Rodoviária. Na abertura dos envelopes, o Consórcio SVS apresentou o menor preço para todos os lotes, totalizando cerca de R$ 40 milhões. Os outros concorrentes entraram com recursos que ainda serão julgados.

Conforme Pelissioni, a previsão é de que os contratos sejam assinados em julho e os radares comecem a ser instalados entre agosto em setembro. De acordo com o superintendente, o DER não prevê a contratação de mais radares móveis. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia tudo sobre: radaresestradassão pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas