Justiça de SP decreta prisão preventiva de acusados de matar dentista queimada

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Prisão preventiva dos acusados que já estão presos foi decretada pelo juiz da 3ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, onde aconteceu o crime em 25 de abril

Agência Estado

 O juiz da 3ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, cidade do ABC paulista, decretou a prisão preventiva dos três acusados de matar queimada a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, em 25 de abril.

Investigação: Polícia conclui inquérito sobre morte de dentista e pede a prisão de acusados
Prisão: Polícia prende três suspeitos de matar dentista em São Bernardo do Campo
Depoimento: Adolescente confessa ter ateado fogo em dentista

Tércio Teixeira/Futura Press
Um dos suspeitos de atear fogo e matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza

Após receber a denúncia do caso na terça-feira (14) o magistrado Edgar de Souza Castro decretou a prisão de Jonatas Cassiano Araújo, Thiago de Jesus Pereira e Victor Miguel Souza Silva. Os acusados têm agora dez dias para apresentar defesa.

O delegado Roberto Bueno Menezes, do 2° DP da cidade, foi quem concluiu o caso e pediu a prisão preventiva dos suspeitos por considerá-los muito perigosos para permanecer em liberdade.

Além da periculosidade dos acusados, o pedido de prisão preventiva pode ser feito quando há possibilidade de fuga ou de prejuízo às investigações.Menezes também solicitou à justiça que o adolescente de 17 anos, que participou do assalto, permaneça na Fundação Casa.

A dentista foi queimada viva em seu consultório após os três acusados e o menor constatarem que Cinthya tinha apenas R$ 30 em sua conta bancária. Uma paciente que testemunhou o crime afirmou que o menor teria sido o responsável por atear fogo na vítima.

Leia tudo sobre: dentistasão bernardo do campoqueimadajustiçaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas