Mirante de Santana, na zona norte da capital, contabilizou mínima de 10,2°C nesta manhã. Índice cai desde segunda-feira (6) quando o primeiro recorde foi registrado

O frio alcançou novos índices em São Paulo nesta quinta-feira, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O órgão registrou 10,2ºC nesta no Mirante de Santana, na zona norte da capital. Os recordes anteriores de temperaturas mínimas foram registrados nesta semana, como os de 12,2°C e 11,1°C , na última segunda (6) e terça-feira (7), respectivamente.  

11,6°C: Rio de Janeiro registra novo recorde de frio nesta madrugada
Dia 6: São Paulo registra a menor temperatura do ano
Dia 7: São Paulo tem novo recorde de frio nesta madrugada

Em Sorocaba, a temperatura também foi recorde hoje. De acordo com o Inmet, a região registrou 8,6ºC e o recorde anterior era de 9,7ºC, também do dia 7. A cidade de Campos do Jordão também registrou temperatura recorde, com os termômetros atingindo a mínima de 3,4ºC. 

Para o órgão, a tendência é de elevação de temperatura a partir de amanhã (10). As noites e o amanhecer serão menos frios e as tardes ficam mais quentes. O tempo fica firme, com muito sol. Mas a concentração de poluentes tende a aumentar.

Paulistanos enfrentam frio na avenida Vital Brasil, ao da estação Butantã, em São Paulo
Gabriela Bilo/Futura Press
Paulistanos enfrentam frio na avenida Vital Brasil, ao da estação Butantã, em São Paulo

Cidade da serra catarinense registra a menor temperatura do ano no País: -6,8ºC

A massa polar que trouxe o frio recorde para esta semana se aquece gradualmente, mas sua circulação de ventos vai causar um bloqueio atmosférico impedindo a chegada de novas frentes frias a São Paulo. Assim, teremos uma nova sequência de muitos dias sem chuva e com pouco vento na Grande São Paulo, condições que ajudam a elevar a quantidade de poluentes.

Ar seco

Até o domingo (12), quando é celebrado o Dia das Mães, a qualidade do ar fica ruim nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Nos próximos dias, o ar vai continuar muito seco no centro-sul do Brasil. Muitas áreas nos estados das três regiões poderão registrar níveis de umidade de “atenção” e de “alerta”.

O ar seco e falta de ventos vão favorecer um aumento da concentração de poluentes. A qualidade do ar vai piorar. Procure beber mais líquidos ao longo do dia e evite esforços físicos especialmente à tarde, quando o ar fica mais seco e poluído.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.