Vítima foi queimada viva no consultório. Um dos suspeitos tem menos de 18 anos

Polícia prende os três suspeitos de atear fogo e matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza durante um assalto
Tércio Teixeira/Futura Press
Polícia prende os três suspeitos de atear fogo e matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza durante um assalto

Três suspeitos de matar a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, em São Bernardo do Campo , no ABC paulista, foram presos durante a madrugada. Um deles tem menos de 18 anos. O trio estava em uma casa na favela Santa Cruz, entre Diadema e São Bernardo. Eles colocaram fogo na vítima e fugiram na tarde de quinta-feira.

Os suspeitos foram levados para o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no centro da capital. Entre os presos está Jonatas Cassiano Araújo, 21 anos, cuja prisão foi decretada na sexta-feira pela Justiça. A polícia havia divulgado o retrato falado dos outros dois suspeitos .

O crime

Os criminosos invadiram a clínica e dois deles roubaram o cartão de crédito de Cinthya para fazer um saque em um caixa eletrônico. Após constatarem que a dentista só tinha R$ 30 na conta, eles retornaram ao consultório, atearam fogo na vítima e fugiram.

Cinthya atendia uma paciente - cujo nome não foi divulgado - quando os criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico e a dentista abriu o portão, momento em que mais dois criminosos invadiram a casa.

A paciente ficou com os olhos vendados durante todo o assalto e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados. Segundo o delegado seccional, a paciente - que não ficou ferida - conseguia ouvir a dentista gritando "não faz isso" e pedindo socorro. "Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.