Polícia Federal prende dois suspeitos de comercializar de fósseis em São Paulo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Maior parte dos fósseis apreendidos é de peixes, provenientes do Estado do Ceará, do famosos sítio paleontológico da Chapada do Araripe

A Polícia Federal em São Paulo deflagrou, nesta quarta-feira (24), uma operação com o objetivo de coibir o comércio de fósseis brasileiros na região metropolitana de São Paulo. Após a prisão de um suspeito no dia 18 desde mês, mais um homem foi detido nesta manhã.

Leia também: PF apreende produtos arqueológicos brasileiros e fósseis em São Paulo

Maior parte dos fósseis apreendidos é de peixes, provenientes do Estado do Ceará. Foto: DivulgaçãoOperação partiu de uma denúncia de que estaria ocorrendo o comércio de fósseis na região de Embu das Artes. Foto: DivulgaçãoMaterial apreendido durante a ação policial na Grande São Paulo. Foto: DivulgaçãoPrimeiros fósseis foram encontrados em uma loja de artesanato que teria uma pequena quantidade para venda. Foto: DivulgaçãoMaterial apreendido durante a ação policial na Grande São Paulo. Foto: Divulgação

Segundo a Polícia Federal, a investigação foi iniciada a partir de uma denúncia de que estaria ocorrendo o comércio de fósseis na região de Embu das Artes. Em diligências, a policia identificou uma loja de artesanato que teria uma pequena quantidade de fósseis para venda. No dia 18, policiais federais encontraram alguns fósseis expostos para venda, além de diversos outros ocultos no estabelecimento, motivo pelo qual o seu proprietário foi preso em flagrante.

As investigações prosseguiram para desvendar o fornecedor desse material, que seria uma pessoa com residência no bairro de Bonsucesso, em Guarulhos. A partir dessa constatação, foi representado e expedido pela Justiça Federal um mandado de busca e apreensão. No local foram encontrados diversos fósseis. Na ação policial, o proprietário foi preso e conduzido à Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo.

A maior parte dos fósseis apreendidos é de peixes, provenientes do Estado do Ceará, do sítio paleontológico mais famoso, o da Chapada do Araripe, onde está o Centro de Pesquisas Paleontológicas da Chapada do Araripe (CPCA), também conhecido como Museu do Crato. Os fósseis são bens da União e sua exploração comercial é proibida pelo seu valor científico e cultural. Os presos responderão pelo crime de usurpação de bem da União e pelo crime de receptação qualificada.

Leia tudo sobre: fósseisarqueologiapolícia federaloperação cardumeigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas