Anistia Internacional elogia condenação de PMs

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar de aprovar punição, organização criticou a falta de 'responsabilização' do governador e do secretário de Segurança do Estado à época do massacre

Agência Estado

Tércio Teixeira/Futura Press
Julgamento dos 26 policiais militares acusados de envolvimento no Massacre do Carandiru, no Fórum da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo

A Anistia Internacional, organização não-governamental que atua em mais de 150 países em defesa dos direitos humanos, aprovou com ressalvas a condenação de 23 policiais militares pela morte de 13 detentos durante o massacre do Carandiru, em São Paulo. No episódio, em 1992, 111 presos foram mortos. O julgamento terminou na madrugada deste domingo (21).

Leia mais:

Júri condena 23 PMs a 156 anos de prisão por massacre no Carandiru

Defesa recorre da acusação e diz que PMs se sentem "traídos pelo governo"

"Apesar dos 20 anos de espera, a sentença (...) sinaliza que a Justiça brasileira não irá admitir abusos cometidos pelo Estado contra a população carcerária. Mesmo sem a responsabilização das altas autoridades do Estado de São Paulo à época do massacre, como o governador e o secretário de Segurança, a Anistia Internacional acredita que este resultado é um passo importante na garantia de justiça para as vítimas, seus familiares e sobreviventes do Carandiru", diz a nota divulgada pela entidade após a decisão judicial.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas