Augusta perde mais um símbolo da noite da capital paulista

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Studio SP vai fechar as portas neste mês por causa da especulação imobiliária, que já forçou o fechamento do Vegas, outra casa noturna que impulsionou a região

Agência Estado

Uma das casas responsáveis pela revitalização da vida noturna no centro e pelo nascimento da área chamada de Baixo Augusta, o Studio SP vai fechar as portas neste mês. O anúncio de encerramento das atividades foi feito ontem à tarde pelo dono da casa, Alê Youssef, em seu perfil no Facebook. Um dos motivos é a especulação imobiliária, que já forçou o fechamento do Vegas, outra casa noturna que impulsionou a região.

O Studio SP abriu em 2005 na Vila Madalena e, em 2008, mudou-se para o número 591 da Rua Augusta. Tinha a proposta de divulgar o trabalho de bandas iniciantes e cantores da nova geração. Acabou se transformando em um reduto da boemia jovem, por cobrar ingressos baratos e oferecer programação musical de qualidade. Alguns nomes do mundo artístico como Criolo, Céu, Tiê, Karina Buhr, Mallu Magalhães, Tulipa Ruiz e bandas como Hurtmold, Mombojó, Del Rey e Bonde do Rolê começaram a carreira ali ou, pelo menos, ganharam fama no palco da casa.

Leia também: Em junho, boemia de São Paulo terá Bar Riviera de volta

A notícia é mais um golpe na boemia da região da Augusta - outras casas das redondezas, como o Bar do Netão e o Sonique, além do Vegas, já sucumbiram aos altos preços dos aluguéis e à mudança de perfil da região. Cada vez mais prédios residenciais e comerciais estão sendo construídos ali.

Alê Youssef - que tem mais dois sócios na casa, Maurizio Longobardi e Guga Stroeter - afirmou que vai manter a programação de abril e planeja a possibilidade de fazer um show de encerramento no começo de maio antes de fechar definitivamente. Pelas contas do sócio, foram cerca de 2,5 mil shows em oito anos de casa.

"Vamos fazer deste mês de abril uma celebração. Acreditamos que é um momento oportuno para encerrar o projeto Studio SP e terminar em alta, com a casa ainda cheia", disse o empresário.

Youssef diz que a especulação imobiliária não é o único fator que motivou a decisão dos sócios, mas diz que a movimentação do mercado pesou muito. "Naturalmente, isso gera uma incerteza. A região sofreu uma mudança óbvia, visível, que eu espero que, de alguma forma, seja revertida. A especulação imobiliária é forte e muito presente", disse, sem confirmar se o preço do aluguel que expulsou muitos locatários da região apressou o fechamento das portas de sua casa noturna.

"É mais pessoal, por causa de questões naturais da noite mesmo. Existe todo um trabalho em manter a casa. Agora, eu e os outros sócios vamos nos dedicar a projetos pessoais", afirmou o empresário.

Vila Madalena e Rio
Em 2011, uma filial da casa voltou a funcionar no antigo endereço na Vila Madalena. Desde setembro não tem programação. Segundo Youssef, o espaço também será fechado. Naquele mesmo ano, os sócios também investiram em uma filial na cidade do Rio, o Studio RJ, em Ipanema, zona sul. Este será mantido. "Lá, a casa ainda está iniciando uma trajetória", disse o sócio. Youssef foi candidato a deputado federal pelo Partido Verde em 2010. O Studio SP ficou fechado temporariamente em janeiro por problemas com licenças e alvará de funcionamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia tudo sobre: studio sprua augustanoiteigspbalada

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas