Alça ligando Radial à Jacu-Pêssego causa protesto em São Paulo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Lojistas de um quarteirão que terá de ser desapropriado para erguer uma das alças criticaram o fato de não terem sido procurados

Agência Estado

Sob protesto de comerciantes da região, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta quinta-feira o início das obras para a construção de duas alças de acesso da Avenida Jacu-Pêssego à Radial Leste, na zona leste da capital. As obras, de responsabilidade da empresa de Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa), custarão R$ 61,4 milhões e serão entregues em março.

Lojistas de um quarteirão que terá de ser desapropriado para erguer uma das alças criticaram o fato de não terem sido procurados. Um deles, Robson Baptista Gonçalves, chegou a interpelar o prefeito Fernando Haddad (PT), em busca de uma solução para o problema. "Não tivemos um aviso prévio, nada. Mesmo por meio da Lei de Acesso à Informação, a Dersa omitiu informações necessárias para que pudéssemos tomar alguma providência jurídica", afirmou ele, que é diretor da Associação dos Comerciantes, Empresários e Moradores de Itaquera (Acemi).

Em resposta, o prefeito disse que vai convocar uma reunião para discutir o caso. "Vou designar uma equipe para tratar desse assunto especificamente."

Itaquerão
Ao todo, segundo o proprietário de uma loja de colchões do quarteirão, José Claudio Moreira, de 42 anos, serão afetados cerca de 40 imóveis comerciais. Conforme o governo do Estado, a obra facilitará o acesso à Marginal do Tietê e à Rodovia Ayrton Senna, além de criar alternativa à Radial, melhorando o deslocamento de torcedores na Copa do Mundo. O Estádio Itaquerão fica a poucos quilômetros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia tudo sobre: obrasalça jacu-pêssegoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas