Servidor da Prefeitura de SP é preso em flagrante ao receber R$ 8 mil em propina

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Este é o quarto funcionário preso em menos de 20 dias, em três operações realizadas em conjunto pela Controladoria Geral do Município e pela Polícia Civil na cidade

A Controladoria Geral do Município (CGM) prendeu em flagrante na manhã desta quinta-feira (4) um servidor público da Prefeitura de São Paulo acusado de receber propina de R$ 8 mil em espécie. A ação foi desencadeada depois que um empresário procurou o órgão para informar sobre a extorsão. Este é o quarto funcionário da prefeitura preso em menos de 20 dias, em três operações realizadas em conjunto pela Controladoria e pela Polícia Civil.

Outros casos:
Fiscais são presos em flagrante por cobrar propina em São Paulo
Engenheiro da Prefeitura de SP é preso ao exigir propina para regularizar imóvel

De acordo com o relato, o servidor da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente visitou a empresa do denunciante no último dia 6 de março, quando fez um auto de inspeção e exigiu vários documentos no prazo de 24 horas por causa de “irregularidades” na armazenagem de resíduos industriais. Após a apresentação dos documentos, o funcionário público teria exigido a quantia de R$ 30 mil para “deixar para lá” uma multa que seria de pelo menos R$ 90 mil.

Após a denúncia, a CGM investigou o caso e acionou a 1ª Delegacia de Crimes contra a Administração Pública do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania. Os órgãos monitoraram a negociação pela propina, que acabou com o servidor reduzindo o valor exigido para R$ 12 mil, sendo a primeira parcela de R$ 8 mil. Só então, a Polícia Civil e a Controladoria conseguiram prender o funcionário enquanto este recebia o dinheiro.

Ainda de acordo com a CGM, o servidor preso ingressou na Prefeitura, por concurso público, junho de 2010 e recebia atualmente um salário mensal bruto equivalente a R$ 4.600. Agora, a prefeitura irá abrir um processo administrativo disciplinar. Além disso, o suspeito também deve responder pelo crime de concussão.

Leia tudo sobre: funcionárioprefeiturapresoflagranteoperaçãoControladoriaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas